Pautas


Governo e Equatorial firmam parceria para ajudar famílias carentes com a Tarifa Social de Energia

Por Igor Fonseca (SEDEME)
Abertura: 13/09/2021 16h00
Encerramento: 13/09/2021 23h00
Local: Palácio do Governo.
Endereço: Avenida Dr. Freitas, 2531, Marco.
Contatos: Igor Fonseca, Coordenador de Comunicação da Sedeme. Contato: (91) 98456-0582

O Governo do Estado do Pará e a Equatorial Energia assinam, nesta segunda-feira, 13, o Termo de Cooperação Técnica, que objetiva localizar potenciais beneficiários do programa Tarifa Social de Energia Elétrica (TSEE) e conceder a eles descontos de 10% a 65% na conta de luz. A assinatura do documento ocorre no Palácio do Governo, às 16h.

Para encontrar pessoas que se encaixem nos critérios do Programa Tarifa Social, a Secretaria de Desenvolvimento Social vai disponibilizar dados para que a distribuidora cruze as informações com sua base de cadastros.  

Segundo o presidente da Equatorial Pará, Marcos Almeida, o processo deve funcionar de forma assertiva para que mais pessoas sejam alcançadas e os municípios gere mais economia. “São 348 mil famílias que podem ter descontos e pagar uma conta mais barata, mas ainda não se cadastraram. Por isso, facilitar o contato com esses cidadãos será fundamental para a Equatorial ter acesso com os futuros beneficiários e explique detalhadamente sobre o programa e como poderão fazer a adesão”, explica Marcos.  

“Quanto mais beneficiários conseguirmos cadastrar, automaticamente, mais economia será gerada nos municípios; pois o dinheiro que o cliente economiza na conta de luz pode passar a ser aplicado no comércio local, por exemplo. No total, o programa gerou cerca de R$ 270 milhões na economia do Estado, em 12 meses”, completa.  

De acordo com a Equatorial Energia Pará, 947 mil famílias já recebm o benefício no Estado. Só em 2021, 39 mil novas famílias foram incluídas no programa, devido às parcerias entre a concessionária e os órgãos que disponibilizam a quantidade de potenciais beneficiários espalhados por todos os municípios do Pará.  

Atualização cadastral  

De acordo com dados da Secretaria Especial, mais de 315 mil famílias podem perder o benefício por falta de atualização cadastral. Ou seja, ainda que o processo de busca e cadastro de novos beneficiários passe a ser mais desenvolvido, o cidadão precisa colaborar para continuar dentro do programa. Anualmente, esse levantamento é feito com base no número de famílias inscritas no CadÚnico (Cadastro Único), mas é dever do próprio consumidor manter seus dados atualizados juntos ao CRAS da sua cidade, a cada dois anos, para que não perca o direito aos descontos da tarifa social.

Sugestão de entrevistados:

Anadelia Divina Santos, Secretária Adjunta de Gestão Administrativa

Marcos Almeida, presidente da Equatorial Energia. 

Wilton Teixeira, Diretor de Concessões – DCON

Rafael Ferreira Costa Teixeira, Diretor de Energia – DIREN