Pautas


Estado divulga avanços na exportação de carne bovina no Pará

Por William Serique (GABGOV)
Abertura: 12/09/2019 15h00
Encerramento: 12/09/2019 16h00
Local: Palácio do Governo
Endereço: Av. Doutor Freitas, 2531 – Belém
Contatos: Secom – William Serique – (91) 985320907

O governador do Pará, Helder Barbalho, receberá nesta quinta-feira (12), no Palácio do Governo, em Belém, Roberto Paulinelli, representante do Frigorífico Rio Maria, instalado no município de Rio Maria, no sul do Estado; Josinaldo Medeiros, do Master Boi Ltda., de São Geraldo do Araguaia; Karen Destro, do Frigol, em Água Azul do Norte (no sudeste), e Daniel Freire, do Mercúrio Alimentos, em Castanhal (nordeste), para um encontro que discutirá os avanços no setor de exportação de carne bovina do Pará. Também participarão Francisco Victer, da Aliança Paraense da Carne, e Paulo Costa, do Ativo.

Também participarão da reunião o secretário de Estado de Desenvolvimento Econômico, Mineração e Energia, Iran Lima; o secretário de Estado de Desenvolvimento Agropecuário e da Pesca, Hugo Suenaga, e o superintendente do Sebrae-PA, Rubens Magno.

O governo e os produtores de carne bovina do Pará comemoram novas perspectivas para o setor depois de uma vitória no mercado internacional: quatro frigoríficos paraenses receberam habilitação para exportar para o mercado chinês. O anúncio foi feito na última terça-feira (10), pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa).

No dia 10 de abril, em um encontro com a ministra da agricultura, Tereza Cristina, o chefe do Executivo estadual apresentou a demanda do setor produtivo agropecuário paraense. Um dia antes dessa reunião, o governador decretou a criação de um Grupo de Trabalho (GT), para a realização de estudos e ações destinados ao desenvolvimento da agropecuária paraense.

O GT é composto pelas secretarias estaduais de Desenvolvimento Agropecuário e da Pesca (Sedap), de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semas), de Desenvolvimento Econômico, Mineração e Energia (Sedeme), de Ciência e Tecnologia e Educação Profissional e Tecnológica (Sectet), da Fazenda (Sefa) e de Segurança Pública e Defesa Social (Segup), além da Procuradoria-Geral do Estado, Iterpa, Adepará e entidades do setor, como Faepa, Acripará, Unierc e Sindicarne.

Dados da Sedap mostram que os quatro frigoríficos representam quase 2 mil empregos diretos e 6 mil indiretos. A comercialização de carne no mercado internacional mantém o setor e, consequentemente, o mercado interno e os empregos gerados pela atividade.

Só a Indústria Mercúrio Ltda. gera, atualmente, 522 empregos diretos e mais de 1,5 mil indiretos. Isso com apenas 20% da produção da empresa para o mercado internacional (geralmente, o Oriente médio). Agora, a exportação do frigorífico pode chegar a 40%.

No Pará, existem 38 indústrias frigoríficas, e 16 delas passam por inspeção sanitária estadual. Desde 2011, a maioria aguardava renovação da LO (Licenciamento Operacional), o que dificultava o crescimento das empresas e ameaçava a geração de empregos no setor. O governo atendeu a essa demanda para a liberação de licenciamentos operacionais que estavam pendentes.

Sugestão de entrevistados:

- Helder Barbalho, governador do Pará
- Representantes de frigoríficos
- Iran Lima, secretário de Estado de Desenvolvimento Econômico, Mineração e Energia
- Hugo Suenaga, secretário de Estado de Desenvolvimento Agropecuário e da Pesca
- Rubens Magno, superintendente do Sebrae-PA