Plano de Redução da Criminalidade faz primeira reunião do ano

22/01/2015 20h28
Por Redação - Agência PA (SECOM)

O secretário de Estado de Segurança Pública e Defesa Social, Jeannot Jansen, presidiu nesta quinta-feira, 22, a primeira reunião do Plano de Redução da Criminalidade (Prec) de 2015, no auditório da Delegacia Geral da Polícia Civil. O evento teve as presenças dos delegados da Polícia Civil titulares e dos comandantes da Polícia Militar nas Regiões Integradas de Segurança Pública (Risps), além do delegado geral, Rilmar Firmino, e do comandante geral da PM, coronel Roberto Campos. Ao final da reunião, foi assinado o Acordo de Resultados para o primeiro semestre deste ano.

O tenente coronel bombeiro Luiz Fernando Cajango, titular do Núcleo de Gestão por Resultados da Segup, disse que o Plano de Redução da Criminalidade funciona por ciclos semestrais e conta com três indicadores de criminalidade. Durante a reunião, foi definida a alteração em um dos indicadores de ações do plano. No caso do crime de roubo qualificado, o indicador foi alterado para Crimes Contra o Patrimônio, que, para possibilitar uma análise mais qualitativa, passará a ser avaliado em cinco vertentes: roubo a transeunte, roubo a coletivo, roubo a residência/estabelecimento comercial, roubo de veículos e roubos em embarcações. Os outros dois indicadores são o homicídio doloso e latrocínio.

Ainda durante a reunião, foi feita a avaliação dos índices de criminalidade no segundo semestre do ano passado em cada uma das Risps. O Prec abrange as Regiões Integradas de Segurança Pública e Áreas Integradas de Segurança Pública (Aisps). Implantado em 2013, o programa criou as coordenadorias colegiadas das Risps e Aisps, formadas por representantes das polícias para atuar sobre metas de redução de crimes.

As metas são previamente fixadas e estabelecidas para cada Área Integrada de Segurança Pública. O Plano de Redução da Criminalidade possibilita maior integração entre as policiais Civil e Militar, pois as metas de redução de crimes são compartilhadas entre as forças policiais de segurança pública. Todos os resultados passam por avaliações para se verificar em quais regiões do Estado as metas foram ou não atingidas.