Inflação na região metropolitana salta para 1,74% em janeiro

12/02/2015 17h24

Os gastos com educação e transporte alavancaram a inflação na Região Metropolitana de Belém (RMB) em janeiro para o índice recorde de 1,74%. É o que aponta o informe técnico do Índice de Preços ao Consumidor (IPC) elaborado pela Fundação Amazônia de Amparo a Estudos e Pesquisas do Pará (Fapespa). Desde 2012, a inflação na RMB não alcançava percentuais tão elevados. No mês passado, a taxa ficou 0,91 ponto percentual acima do registrado no mês de dezembro de 2014, quando alcançou 0,83%.

O grupo classificado como Educação, Leitura e Papelaria contribuiu 0,22 ponto percentual com o índice final, com a taxa do índice geral das famílias com rendimentos entre um e oito salários mínimos. Entre os principais itens responsáveis pelo crescimento do índice estão as matrículas e mensalidades do curso de formação fundamental, com registro de 10,97%. Os cursos de nível superior tiverm alta de 10%, os itens de papelaria, de 5,11%, e o uniforme escolar, de 3,76%.

Também tiveram destaque no resultado do mês, com aumento nos preços médios, o combustível, a venda de motocicletas e o emplacamento de autos – despesas que, inclusive, são características de início de ano –, além dos preços de serviços pessoais. Apenas o grupo de vestuário apresentou taxa negativa de -2,71%, resultado da queima de estoques.

Para o presidente da Fapespa, Eduardo Costa, a inflação do primeiro mês do ano mostra que o assunto deve estar na pauta da população brasileira e paraense ao longo de 2015. "Os dados apresentados são preocupantes, pois mostram uma tendência de perda do poder de compra das famílias belenenses, na medida em que a inflação de 2015 deverá estar no mesmo nível ou superior aos 9,91%, registrados pelo ICP/ Fapespa em 2014", disse.

“Os principais vilões deste início de ano são os preços controlados, como combustíveis e energia, que, dadas as características da economia paraense, tendem a impactar nos demais produtos, como transportes, educação, vestuários e alimentos, em um efeito cascata", completa Eduardo Costa.

A Fapespa divulga mensalmente o IPC da Região Metropolitana de Belém, no qual são mensuradas as variações de preços dos bens e serviços que compõem o orçamento das famílias com rendimentos entre um e oito salários mínimos, coletados nos estabelecimentos comerciais e de prestação de serviços e concessionária de serviços públicos.

Por Redação - Agência PA (SECOM)