O Projeto de APL de Biocosméticos do Pará desperta interesse da Green Rio 2015

17/05/2015 14h18
Por Redação - Agência PA (SECOM)

A convite da Conferência Green Rio 2015 – a plataforma de referência para negócios da economia verde no Rio de Janeiro – a Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico, Mineração e Energia (Sedeme), o Sebrae Pará e o Sindicato dos Químicos, Petroquímicos e Farmacêuticos  no Estado do Pará, apresentarão dias 20 e 21 deste mês, no Jardim Botânico carioca, o projeto do APL de Biocosméticos do Pará, desenvolvido em parceria com  pequenos e médios empreendedores do segmento e a Fiepa/Rede Brasileira dos Centros Internacionais de Negócios (Rede CIN), que trabalha pela internacionalização de empresas brasileiras.

O convite da Green Rio 2015 foi feito à diretora de Mercado, da Sedeme, Lucélia Guedes, durante a apresentação do projeto do "Arranjo Produtivo Local (APL) de Biocosméticos na Região Metropolitana de Belém’’, no II Seminário de Cosméticos de Base Florestal da Amazônia, em Palmas, no Tocantins, semana passada. O evento integra o Projeto Sebrae Nacional, que estrutura a cadeia de “Cosméticos de Base Florestal da Amazônia”, envolvendo uma rede de conhecimento, pesquisa e inovação, com a participação de representantes de sete dos nove Estados que integram a área de abrangência da Amazônia Legal, a saber: Pará, Acre, Amapá, Amazonas, Rondônia, Roraima e Tocantins.

“O Pará está na frente dos demais Estados da Amazônia ao apresentar o APL de Biocosméticos já maduro. Nós temos muito carinho por esse projeto porque temos certeza de que ele dará certo e servirá de referência de excelência a ser replicado entre os demais Estados da Amazônia’’, afirmaou Bia Cabral, da organização da Conferência Green Rio.

O projeto de APL de Biocosméticos do Pará será exibido dentro do tema ‘A Amazônia e sua Biodiversidade’ no Painel “Cosméticos de Base Florestal da Amazônia’. A programação da Conferência Green Rio 2015 trará temas estratégicos, envolvendo desde políticas públicas, mercado e os consumidores.

“O segmento de biocosméticos é o que mais cresce no mundo. Nosso segmento é um setor que utiliza fontes renováveis e sustentáveis. O APL é fantástico, discute soluções comuns e específicas para superarmos as dificuldades e o resultado é positivo para a cadeia’’, disse Fátima Chamma, que preside o Sindicato do setor e é sócia-fundadora da empresa Chamma Amazônia, que comercializa um mix de artigos, como xampus, perfumes, óleos esfoliantes, condicionadores, aromatizantes de ambiente, delineadores, batons, pulseiras e cestas.

A Sedeme, por meio de sua Diretoria de Mercado, une esforços com diversas instituições e o setor produtivo para desenvolver o segmento a fim de que ele se fortaleça e alcance voos mais altos. “Além do Governo do Estado, este trabalho reúne o Sebrae Pará, as empresas, o Sindicato, numa somatória de competências para o fortalecimento do segmento. Queremos verticalizar a produção, vender com valor agregado e com preço justo que os produtos merecem. O fato de ser uma produção orgânica e o apelo da origem amazônica nos dá grandes chances de conquistar o mercado internacional. A gente tem de olhar não só o aqui e agora, mas o futuro. E o futuro é hoje’’, destaca Lucélia Guedes.

O Projeto do APL começou a ser pensado e estruturado no Sebrae Pará e foi abraçado pelo governo do Estado, que tratou de envolver o setor produtivo. O plano apresenta os gargalos, metas e soluções para o setor produtivo e, resulta de reuniões e seminário, além de participações em eventos nacionais e até fora do País, a exemplo de recente viagem a Bogotá, na Colômbia.

O que é um APL

Arranjo Produtivo Local (APL) significa um aglomerado de empresas de um mesmo território e segmento econômico que se juntam para aumentar a escala de produção e melhorar a tecnologia. Os participantes do APL interagem entre si a fim de aprimorar os processos produtivos e conquistar mais clientes. A criação de um Arranjo Produtivo Local é uma ótima maneira de dar aos pequenos negócios a chance de crescerem e se tornarem competitivos.