Seminário sobre inovação na Amazônia é realizado por projeto apoiado pela Fapespa

12/06/2015 09h47

O projeto Rede de Núcleos de Inovação Tecnológica da Amazônia Oriental (Rede Namor), apoiado pela Fundação Amazônia de Amparo a Estudos e Pesquisas do Pará (Fapespa), deu início, na manhã desta quinta-feira, 11, ao seminário "Reflexões e desafios a uma cultura da Inovação na Amazônia", realizado no auditório Paulo Cavalcante, do campus de Pesquisa do Museu Paraense Emílio Goeldi (MPEG).

A mesa de abertura do evento contou com a participação do secretário de Estado de Ciência, Tecnologia e Educação Técnica e Tecnológica (Sectet), Alex Fiúza; do diretor científico da Fapespa, Alberto Arruda; da coordenadora da Assessoria Científica do MPEG, Ima Célia Vieira; do reitor do Centro Universitário do Estado do Pará (Cesupa), João Paulo Mendes, e do vice-reitor da Universidade do Estado do Pará (Uepa), Rubens Cardoso.

O diretor Alberto Arruda, que representou o diretor-presidente da Fapespa, Eduardo Costa, também participou da primeira mesa redonda do Seminário da Rede Namor, juntamente com o secretário Alex Fiúza e o diretor-presidente do Parque de Ciência e Tecnologia Guamá (PCT Guamá), Antônio Abelém.

Arruda ressaltou que o governo do estado tem realizado forte investimento na área de Ciência, Tecnologia e Inovação (CT&I) do Pará. "Estamos reestruturando a Fapespa para que o Estado possa continuar fortalecendo a pesquisa em CT&I na Amazônia. Por isso, estamos trabalhando para lançar editais regionalizados com focos em áreas que realmente importam ao desenvolvimento do Pará", explicou o professor Alberto Arruda.

O seminário, que segue até esta sexta-feira, 12, tem como principal objetivo discutir o fomento e a governança das atividades de inovação nas instituições de Ciência e Tecnologia (ICTs) da Amazônia Oriental. Além disso, uma das pautas do evento é a prestação de contas do financiamento realizado pela Fapespa e pela Financiadora de Estudos e Projetos (Finep) na Rede Namor.

O evento é aberto aos interessados que tenham afinidade com o tema, como gestores de inovação, empresas, populações tradicionais, pesquisadores e estudantes de graduação e pós-graduação.

A Rede Namor

A Rede de Núcleos de Inovação Tecnológica da Amazônia Oriental, Rede Namor, é coordenada pelo Museu Emílio Goeldi, em parceria com diversas instituições de ensino e pesquisa do Pará, Tocantins e Amapá, sob a supervisão da professora Graça Ferraz.

O projeto tem o propósito de difundir conhecimentos sobre boas práticas de gestão da inovação e métodos de proteção do conhecimento, propriedade intelectual e transferência de tecnologia, além de gerenciar recursos. Foram investidos R$ 2 milhões pela Finep para o apoio às instituições do Pará, Amapá e Tocantins, e R$ 300 mil pela Fapespa, para investimento somente no Pará.

Por Redação - Agência PA (SECOM)