Seminário discute qualificação profissional na região do Rio Capim

11/08/2015 17h24
Por Redação - Agência PA (SECOM)

Com o objetivo de identificar as principais demandas de qualificação profissional nas oito regiões administrativas do estado, a Secretaria Estadual de Assistência Social, Trabalho, Emprego e Renda (Seaster) realizou nesta terça-feira (11), em Paragominas, o Seminário Regional de Planejamento para Identificação de Demandas de Qualificação Social e Profissional. A oficina contou com a participação de representantes de 11 municípios da região do Rio Capim.

Esta é uma das ações para elaboração do Plano Estadual de Qualificação Social e Profissional que será lançado ainda este ano e visa potencializar a ocupação, por trabalhadores e jovens do Pará, das oportunidades de emprego, trabalho e renda geradas pelo desenvolvimento socioeconômico do estado. Para isto, o governo está elaborando o plano de acordo com o que os municípios demandam de qualificação profissional relacionadas com as especificidades de cada região.

Durante a manhã foram apresentadas as etapas do plano estadual de qualificação, os serviços oferecidos pelos postos do Sistema Nacional de Emprego (Sine) e a importância do fortalecimento das Comissões Municipais de Emprego. Dados do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese) apontam que foram admitidos no primeiro semestre de 2015, somente na região do Rio Capim, 23.598 trabalhadores principalmente nas áreas de comércio e extrativismo, sendo o setor de agricultura o maior empregador, com 1.958 pessoas admitidas. 

O período da tarde foi destinado ao processo de construção coletiva. Os participantes irão compreender como se deve preencher o formulário relativo às necessidades e demandas de qualificação social e profissional no município e que deverá ser entregue à Seaster no prazo de 15 dias após o seminário.

O secretário adjunto de Trabalho e Emprego da Seaster, Everson Costa, explicou que a elaboração do Plano de Qualificação do Pará leva em conta não apenas os indicadores socioeconômicos, mas principalmente as demandas apontadas pelos próprios municípios. “É necessário respeitar as especificidades de cada município, ter o diagnóstico das necessidades geradas pelo desenvolvimento socioeconômico, pelos arranjos socioprodutivos e cadeias produtivas locais. As pessoas que vivem nos territórios conhecem a realidade melhor do que ninguém e são fundamentais para a construção de políticas públicas como a qualificação profissional”, afirmou.

A secretária municipal de cultura, Aparecida Luciana, que na ocasião estava representando o prefeito de Paragominas, destacou a importância da escuta e o diálogo com os diferentes atores sociais para elaboração de um plano. “Eu parabenizo o governo do estado, pois é a primeira vez que vejo um governo ouvir dos municípios suas necessidades e demandas de qualificação, de acordo com a realidade de cada região. Isso sim é um planejamento estratégico, pois vamos poder qualificar nossos trabalhadores e incluí-los no mercado de trabalho de acordo com as vagas que possuímos nos municípios”, ressaltou.

A secretária municipal de assistência social de Ulionópolis, Marieta da Silva, falou sobre a importância de qualificar o trabalhador no atual contexto econômico do país. “Sabemos que o desemprego está aumentando e uma forma de garantir um emprego para o trabalhador e mantê-lo no seu atual é qualificando e tornando ele competitivo para o mercado de trabalho”, disse.

O próximo seminário será realizado nesta quinta-feira (13), no município de Marabá voltado para 27 municípios das Regiões do Carajás e Araguaia.