Arcon-PA registra 810 autos de infração na Operação Carnaval 2018

15/02/2018 00h00
Por Redação - Agência PA (SECOM)

A Agência de Regulação e Controle de Serviços Públicos do Estado do Pará (Arcon-PA) registrou, durante a Operação Carnaval 2018, aumento no número de autos de infração com relação ao ano passado. Equipes de fiscalização contabilizaram 810 autos de infração nos modais rodoviário e hidroviário. O número é 72% maior do que o registrado no mesmo período, em 2017, quando foram registradas 467 infrações.

A operação terminou nesta quarta-feira (14) e contou com o trabalho de 70 agentes em Belém e em outras 20 localidades. Nos seis dias de fiscalização intensiva, foram abordados mais de 2,6 mil veículos nas estradas e terminais.

O Terminal Rodoviário de Belém foi onde os fiscais mais encontraram problemas nos veículos. As irregularidades mais presentes no modal foram excesso de passageiros, motorista não cadastrado como auxiliar e avarias menores, que não são passíveis de apreensão. Nos veículos apreendidos, os problemas eram pneu careca e falta da documentação obrigatória expedida pela Arcon-PA. Ao todo, foram apreendidos 23 veículos. Entre eles, seis eram de transporte não autorizado.

Os locais com maior fluxo de passageiros foram a Alça Viária, a ponte sobre o rio Meruú, Apeú e Vigia. O Carnaval em Vigia, na região do Guamá, é um dos mais procurados no Estado. No município, foram abordados mais de 290 veículos nos seis dias da operação.

Nas paradas de embarque e desembarque de passageiros na BR-316, em Ananindeua, região Metropolitana, a fiscalização foi realizada em parceria com a Polícia Rodoviária Federal (PRF), dando celeridade ao intenso fluxo de veículos na rodovia.

Hidroviário - Nos portos e terminais hidroviários, as equipes apontaram o fluxo de 87,1 mil passageiros pelo Estado. Pelo porto do município de Igarapé-Miri, na região do Tocantins, circularam 22,1 mil pessoas – o maior número de pessoas registrado. No município, as equipes do Grupo Técnico de Transporte Hidroviário (GTH) trabalharam em conjunto com o Grupo Técnico de Transporte Terrestre da Agência (GTT).

A procura pelo Terminal do Camará, no Marajó, também foi intensa – 13,4 mil foliões circularam pelo terminal do município de Salvaterra. Pelo Terminal Hidroviário de Belém passaram 9,7 mil usuários durante a Operação.

Foram lavrados 13 autos de infração, três a menos em comparação com o período em 2017. No Terminal Hidroviário de Belém, uma empresa foi autuada por não conceder gratuidade dentro do limite permitido de 15% dos assentos. O restante foi aplicado pelo GTT, entre os motivos estão: abastecer veículos com passageiros no interior, excesso de passageiros e alteração da capacidade do veículo.

O diretor geral em exercício da Arcon-PA, Karim Zaidan, afirma que a Operação transcorreu sem ocorrências consideradas graves. “Todas as equipes espalhadas em mais de 20 pontos conseguiram cumprir sua missão de maneira a fiscalizar as condições do transporte rodoviário e o embarque do hidroviário, evitando riscos para os passageiros que utilizaram esse serviço em seu deslocamento”, pontuou.

A Operação contou com o apoio das polícias rodoviárias Federal e Estadual e Polícia Militar, no modal rodoviário, e da Companhia de Portos e Hidrovias (CPH) e da Capitania dos Portos da Amazônia Oriental (CPAOR), no hidroviário. “A integração com outros órgãos de segurança foi fundamental para fortalecer a atuação da Agência”, finaliza Zaidan.