Atingidas pelas chuvas, famílias de Porto de Moz e Pacajá recebem ajuda humanitária

Defesa Civil entrega mais de duas mil cestas de alimentos e colchões para famílias que tiveram suas residências invadidas pelas águas

23/06/2022 17h28 - Atualizada em 23/06/2022 20h14

Os impactos do intenso período chuvoso levaram 68 municípios paraenses a decretar situação de emergência desde abril. Para amenizar o sofrimento da população, nesta quinta-feira (23) moradores de Porto de Moz e Pacajá, ambos na Região de Integração Xingu, foram beneficiados pelo Programa Recomeçar, do governo do Estado, com a entrega de cestas de alimentos e colchões. O governador Helder Barbalho foi aos dois municípios entregar obras, serviços e ajuda humanitária aos moradores.As cestas de alimentos beneficiam famílias vulneráveis em municípios atingidos pelas chuvas

As 2.100 cestas de alimentos entregues fazem parte do auxílio às vítimas de calamidade pública ocorrida no primeiro semestre de 2022, devido às fortes chuvas, aos deslizamentos, inundações, enxurradas e alagamentos.

“Hoje é um dia histórico. Estamos aqui em Porto de Moz trazendo diversos benefícios para a cidade. Ações do governo do Estado junto com a prefeitura chegam a R$ 90 milhões em investimentos, em hospital, escola, asfalto, estradas, equipamentos esportivos. Investimentos para cuidar das pessoas, como as ações do Programa Recomeçar, da Defesa Civil. É um conjunto de ações para que Porto de Moz possa, cada vez mais, se desenvolver e crescer”, frisou o governador.

O agricultor e pescador José Adair Serra Bastos é um dos beneficiados. “Com certeza, ajuda sim. Chegou em boa hora. A situação estava muito ruim devido à enchente que invadiu a nossa casa. Fizemos um jirau improvisado para ficar com a família. Estava faltando quase tudo de alimentação”, contou.

Transtornos - As fortes chuvas causam alagamentos, enxurradas, bloqueio de estradas, queda de pontes, isolamento de áreas inteiras e inúmeros prejuízos materiais. Algumas famílias chegam a ter perda total de imóveis e pertences. “Vai ajudar bastante, pois a situação está ruim por causa da água grande. Muitas pessoas perderam muitos objetos e móveis. A cesta vai ajudar muito”, garantiu Jeane Aragão Pombo, 22 anos, moradora da zona rural de Porto de Moz.

Para o prefeito Rosiberg (Berg) Torres Campos, além do cadastro dos moradores no Programa Recomeçar, a população de Porto de Moz vem sendo beneficiada com outras ações. “É uma parceria, e o fruto disso quem ganha é a população. O governador Helder Barbalho se faz presente em nosso município, e faz história. Em 131 anos de emancipação, Porto de Moz nunca recebeu tantos recursos, convênios e parcerias como ocorre no atual governo. A população fica feliz. Vamos continuar esse trabalho, seja em infraestrutura, máquinas, saúde e educação, para o nosso município cresça cada vez mais, e nosso povo tenha uma vida melhor”, destacou o gestor.

Recursos - Em Pacajá, as famílias também foram cadastradas para receber um salário mínimo como auxílio financeiro do Programa Recomeçar. “Estamos entregando mais de 600 cestas básicas e 1.500 colchões para as famílias atingidas pelas enchentes. Quando a Defesa Civil no município e no estado trabalham juntas, temos essa resposta à população”, informou o capitão Fernando Varela, subcomandante do 8º Grupamento Bombeiro Militar de Tucuruí, que atua na área. 

“Toda vez que tem enchente, aqui em casa alaga. Perdi tudo. Colchão, roupa, meu armário enferrujou. Moro com meu esposo e cinco meninos. É a única opção morar aqui; não tem o que fazer”, contou a dona de casa Claudenice da Silva Marques, para quem a entrega dos colchões vai oferecer mais conforto para a família, que encontrou dificuldade para armar as redes no espaço reduzido da residência tomada pelas águas.

Por Dayane Baía (SECOM)