Hospital Ophir Loyola realiza 'Feira Culinária Junina', em Belém

Iniciativa oportuniza uma renda extra aos servidores e promove a socialização entre as pessoas na área do jardim interno

23/06/2022 14h21 - Atualizada em 23/06/2022 15h25

Com o intuito de auxiliar e oferecer aos servidores e respectivos familiares uma fonte de renda extra a partir da demonstração de aptidões gastronômicas, o Hospital Ophir Loyola (HOL) iniciou, nesta quarta-feira (22), a “Feira Culinária Junina”. A iniciativa também promove a socialização entre os diferentes públicos no jardim interno da instituição. Tradicionalmente, a celebração do período junino tem como principal símbolo as comidas típicas. E pensando nisso, o hospital oferece, até esta sexta-feira (24),  a oportunidade para degustação e apreciação dos pratos paraenses, como tacacá, bolo de tapioca e mingau de milho.  

Um dos destaques da feira foi o vatapá feito com macaxeira. A técnica de enfermagem, Elicelma Nascimento, teve a ideia de produzir o prato através da experiências com a iguaria. Sempre que comia o vatapá feito com trigo, sentia dores no estômago, a partir disso, a solução encontrada foi vender o vatapá de macaxeira. 

“Eu fazia muito vatapá com trigo, mas percebi que fermentava no estômago e eu ficava com uma sensação de peso. Sentia muita dor e com o tempo fui deixando de lado a receita. Depois de um tempo, comecei a pesquisar e a estudar outras formas de preparo do vatapá, foi quando descobri a macaxeira. Com ela na receita, parei de ter problemas, assim comecei a me aperfeiçoar na receita e hoje é uma renda extra, porque todos que provam, gostam bastante”, ressaltou Elicelma. 

Além dela, as filhas Sueane e Fernanda também são cozinheiras de ‘mão cheia’ e trouxeram algumas guloseimas, como  bolo de tapioca e  mingau de milho. “Graças à nossa mãe, que é funcionária do HOL, tivemos a oportunidade de estar aqui. Acredito que a feira traz benefício tanto para nós que somos os expositores, quanto para o público do hospital, pois sabemos que alguns pacientes precisam estar sempre aqui para não se expor ao ambiente lá fora”, contou Sueane Nascimento.

Márcia Sousa, filha da servidora Mayra Sousa, vende o famoso bolo de paçoca, muito utilizado na época. Para ela, diante do cenário junino é elaborado um cardápio especial. “É a primeira vez que eu participo da feira culinária do hospital, para mim é muito gratificante. Hoje o meu trabalho é de doceira autônoma e para este mês de junho o cardápio foi todo voltado para as festas juninas, principalmente, o bolo de paçoca que hoje está fazendo um sucesso nas vendas”, declarou Márcia Sousa.

A agente administrativa, Carmem Simunhoz, aproveitou a feira para apreciar as delícias sem sair do ambiente de trabalho. “Para mim, a feira da culinária traz para nós mais comodidade, pois no nosso intervalo de almoço não precisamos nos deslocar para fora do hospital. Dessa vez, as comidas são típicas o que me atraiu ainda mais, o que me faz sair da mesmice”, contou Carmem.

A programação não é apenas para beneficiar os servidores, mas também os pacientes que estão internados no hospital ou realizando procedimentos de radioterapia ou quimioterapia. É uma forma de levar alegria nesse momento de luta contra a doença.

Texto de Viviane Nogueira / Ascom Ophir Loyola

Por Governo do Pará (SECOM)