Pará mantém redução nos indicadores de criminalidade segundo monitor da violência

Monitor da Violência acompanha assassinatos no Brasil mês a mês e aponta redução de mortes violentas no Estado

18/05/2022 20h06 - Atualizada em 18/05/2022 20h57

Segundo levantamento nacional realizado pelo Monitor da Violência, do portal de notícias G1, o estado do Pará permanece pelo quarto ano consecutivo, entre os estados com redução nos índices de Crimes Violentos, Letais e Intencionais (CVLI), que inclui os delitos de homicídio, latrocínio e lesão corporal seguida de morte. Os dados divulgados apontam redução de 6% no compilado de todo o país e consideram o período de janeiro a março de 2022 comparado ao mesmo período do ano passado. Sendo o Pará, o segundo estado da região norte que mais reduziu os indicadores, apresentando queda de 14% no trimestre se comparado a 2021 e 48% em relação a 2018. O estudo que é realizado com base nos dados oficiais dos 26 estados e do Distrito Federal, foi divulgado nesta quarta-feira (18).

Entre os meses de janeiro e março de 2022, foram registradas 529 ocorrências de crimes violentos, letais e intencionais. No mesmo período de 2021 foram computadas 613 ocorrências desses crimes. Nesse período, 84 vidas foram preservadas em todo o Estado.

Em 2020, foram 598 ocorrências. Ao ser feito o comparativo dos dados de 2022 com o ano de 2018, último ano da gestão passada, quando foram registrados 1.021 casos, o Pará apresenta uma redução de 48%, demonstrando que segue na contramão dos índices, de alguns estados da região norte que se mantiveram em alta.

Os resultados obtidos são gerados a partir dos investimentos contínuos feitos pelo governo do Estado, por meio os órgãos do Sistema de Segurança Pública. As reduções são validadas por organismos de pesquisa e estudos que comparam os indicadores de crimes cometidos no País, como o monitor da violência. Além disso, o Pará foi apontado pelo Fórum Brasileiro de Segurança como um dos estados que mais diminuíram a criminalidade, ressaltou o secretário de Estado de Segurança Pública e Defesa Social, Ualame Machado.

“Estamos vivenciando uma realidade de redução contínua, após a implementação de várias ações pela Segurança Pública, investimentos em inteligência e equipamentos, o que está sendo demonstrado na queda dos indicadores mês após mês, o que é reflexo da forte atuação dos órgãos do Sistema de Segurança Pública, que de forma integrada atuam nas operações de combate à criminalidade, bem como da presença de viaturas e efetivo em locais estratégicos, como ocorre na RMB (Região Metropolitana de Belém), além dos projetos que estão sendo implementados no interior, como o ‘Segurança Por Todo o Pará’, que sem dúvida está contribuindo para a redução dos indicadores em todo o Estado. Os dados divulgados computam os três primeiros meses, mas ja fechamos o quadrimestre com redução, e ressaltamos que vamos continuar fortalecendo as ações de segurança para garantir os indicadores de criminalidade positivos e o enfrentamento das ações criminosas. O estado não vai recuar, mas vai continuar trabalhando para que as reduções permaneçam em todas as regiões”, afirmou o titular da Segup.

As reduções são atreladas a vários fatores preponderantes para que as ações criminosas sejam enfrentadas, de forma intensificada, em todo o estado. Entre eles está o ‘TerPaz’, que desenvolve políticas públicas nos bairros que eram apontados como os mais violentos, com ações de choque operacional, seguidas de atividades de defesa social, somando esforços com as instalações das Usinas da Paz. Assim como o ‘Segurança Por Todo o Pará’, que tem como objetivo levar o modelo e estratégia de segurança desenvolvido na RMB para o interior, cobrindo toda a extensão do território paraense com ações ostensivas e preventivas.

Integração - Além das políticas públicas e dos programas desenvolvidos, o Estado segue investindo na integração das forças de segurança para ampliar a eficiência das estratégias de combate ao crime. Dentre as ações estão a implementação do "Polícia Mais Forte", pela Polícia Militar, e várias ações de combate à grupos criminosos por meio de ações investigativas e ostensivas a cargo da Polícia Civil, em parceria com os demais órgãos do Sistema de Segurança Pública. Além disso, várias Operações foram deflagradas nos últimos dias, para que de forma efetiva, o enfrentamento a criminalidade continue sendo exitoso, a exemplo das Operações, "Impacto", "Xingu", "Baixo Tocantins", "Super Overlord", que estão atuando na prevenção e repressão de crimes, além da "Anjo da Guarda" com orientações a agentes de segurança pública na reserva, para que vidas sejam preservadas.

"Todos os nossos esforços, ao longo desse período, são para enfrentar a criminalidade com estratégias eficientes, com a finalidade não somente de preservar nossas vidas, mas de melhorar as condições de trabalho dos nossos agentes, que atuam nas ruas diariamente e necessitam de um suporte eficaz para conseguir esses resultados positivos, mostrando que nossas estratégias estão no caminho certo, e com isso garantimos segurança a todos", acrescentou Ualame Machado.

A meta anual de redução de Crimes Violentos Letais Intencionais (CVLI), proposta pelo Ministério da Justiça e Segurança Pública para os Estados, é inferior a 3,5%, e o resultado alcançado pelo Pará, até o fechamento do primeiro trimestre de 2022, em relação a CVLI, foi de 13,87%, comprovando que o Pará avança nas ações e reduz seus indicadores. 

O Monitor da Violência é uma parceria do portal de notícias G1 com o Núcleo de Estudos da Violência da Universidade de São Paulo (NEV-USP) e o Fórum Brasileiro de Segurança Pública.

Por Roberta Meireles (SEGUP)