Adepará concede registro para Agroindústria, em São Félix do Xingu

A Associação das Mulheres Produtoras de Polpas de Frutas agora está apta para produzir 12 tipos de polpas de diversos sabores

16/05/2022 15h26

Em São Félix do Xingu, representante da Adepará e da Assoc. das Mulheres Produtoras de Polpas de Frutas A Agência de Defesa Agropecuária do Estado do Pará (Adepará) concedeu registro de estabelecimento de produtos artesanais para a Associação das Mulheres Produtoras de Polpas de Frutas (AMPPF), em São Félix do Xingu, no sudeste estadual.

A agroindústria artesanal recebeu o selo de número 0282 e está apta a fabricar 12 tipos de polpas de frutas de diversos sabores como cupuaçu, graviola, taperebá , cacau, açaí, dentre outras de espécies frutíferas cultivadas na Amazônia.

A concessão do selo artesanal para a AMPPF de São Félix do Xingu tem validade até abril de 2025 e garante que o produto possui qualidade e passou por inspeção sanitária da Adepará. 

Já são cinco as agroindústrias registradas com o selo artesanal no município. Nesta região do Estado, existem um total de 13 estabelecimentos que processam polpa de frutas de forma artesanal e que já foram registradas na Agência. São agroindustriais instaladas em Tucumã, onde existem sete fábricas; Ourilândia do Norte, com cinco empreendimentos; e Água Azul do Norte , com uma agroindústria, até agora.

Fruticultura

A fruticultura no Pará é uma atividade de grande potencial econômico com a vantagem de se caracterizar por uma diversidade de cultivos de frutas nativas da Amazônia, sem contar que o cultivo de frutas pode se tornar uma fonte de renda para pequenos e médios agricultores da região. 

Atualmente, segundo registros da Adepará, existem 150 agroindústrias instaladas em 61 municípios paraenses, a maioria produz polpa de frutas com uma estimativa anual de produção superior a 12 mil toneladas.

Registro

Para receber o registro de produção artesanal, o produtor deve se adequar às normas da Adepará, como melhorias nas instalações, higiene na manipulação e transporte adequado dos produtos, entre outras normas, dentro das exigências sanitárias previstas nas Boas Práticas de Produção.

À Adepará cabe não só fiscalizar esses estabelecimentos e produtos, como também dar orientações por meio de visitas técnicas. O objetivo é fazer com que o produtor possa se adequar às normas e, com isso, garantir que a população tenha acesso a um produto de qualidade.

No caso das agroindústrias de produtos de origem vegetal, este trabalho é realizado pela Gerência do Programa Artesanal Vegetal pela Gerência de Inspeção e Classificação Vegetal e Identificação Florestal (GICVF). ambas sob supervisão da Diretoria de Defesa e Inspeção Vegetal (DDIV) da Adepará.

De acordo com a diretora de Defesa e Inspeção Vegetal da Adepará, Lucionila Pimentel, a fruticultura é um segmento do agronegócio que promove a geração de emprego e renda para famílias de trabalhadores rurais em todos os municípios onde elas estão instaladas. “O registro de novas agroindústrias contribui para fortalecer o agronegócio na região, gerando emprego, renda e possibilitando a abertura de novos mercados para a produção local”.

SERVIÇO

Os produtores rurais que quiserem registrar sua empresa para poder comercializar legalmente sua produção em todo o Estado e atestar a qualidade do seu produto, devem procurar o escritório da Adepará em seu município ou entrar em contato com a Gerência de Produtos Artesanais Vegetal. Os telefones e endereços estão no site da Adepará, acesse aqui.

Por Governo do Pará (SECOM)