Em Monte Dourado, Adepará implanta programa de monitoramento para combater entrada da mosca da carambola

Meta é manter a área de dispersão da praga, nos limites do estado do Amapá, para evitar restrições ao mercado nacional de exportação de frutos brasileiros in natura

28/04/2022 13h40 - Atualizada em 29/04/2022 11h46

Equipes da Agência de Defesa Agropecuária do Pará (Adepará) fizeram esta semana a implantação do Programa Vigiagropec, no distrito de Monte Dourado, em Almeirim, na divisa do Pará com o estado do Amapá.

 O VigiAgropec é um Sistema de Vigilância Agropecuária para o monitoramento da Mosca da Carambola e sua utilização está prevista na instrução Normativa Nº 28, que estabelece os procedimentos operacionais para as ações de prevenção, contenção, supressão e erradicação da mosca-da-carambola.

A implantação do sistema contou com a participação do gerente do Programa da Mosca da Carambola, Adalberto Tavares; do gerente de Defesa Vegetal, Rafael Haber, e teve o apoio da Gerência Regional de Almeirim, por meio do gerente regional Marcos Mourão.

Além da implantação do Vigiagropec, os servidores da Adepará, que fazem a fiscalização agropecuária na região oeste do estado, receberam treinamento para utilizar o programa e irão atuar como multiplicadores, repassando as informações para técnicos da Agência em outros municípios paraenses.

De acordo com o gerente de Defesa Vegetal Rafael Haber, o programa traz inúmeros benefícios e facilidades para o trabalho no campo e é mais um dos esforços que a Adepará vem fazendo para prevenir a entrada da praga no estado do Pará.

“Não precisaremos usar planilhas de papel em campo, será tudo informatizado. Nós vamos ter maior segurança nas informações porque o GPS só permite que você faça o monitoramento a poucos metros das armadilhas. Além disso, o sistema possibilita gerar mapas das armadilhas e relatórios muito mais completos, e a coordenação poderá acessar todas essas informações de qualquer lugar”, assegurou o gerente.

O investimento em tecnologia faz parte do plano plurianual da Agência para 2022-2023. Por meio do Programa Adepará 100% Digital, um aporte tecnológico às unidades regionais com equipamentos digitais, a autarquia desenvolve melhor as ações de campo, tornando o serviço mais rápido e muito mais eficiente. “Esse programa facilita o repasse das informações para a unidade central, possibilitando que os nossos dados sejam auditáveis e confiáveis”, explicou Jamir Macedo, diretor geral da Adepará.

Programa de erradicação da mosca das frutas

O Programa de Erradicação da Mosca das Frutas (GPEMF) executa ações do Programa Nacional de Erradicação da Mosca da Carambola (PNEMC). A principal meta é manter a área de dispersão da praga, nos limites do estado do Amapá, para evitar restrições ao mercado nacional de exportação de frutos brasileiros in natura.

Segundo o IBGE, O Pará é o 7º maior produtor de frutas cítricas do Brasil e o primeiro da região norte (IBGE, 2015). Parte da produção é exportada para o norte, nordeste e centro-oeste e também para União Europeia. A produção de frutas cítricas está concentrada em dois polos, no nordeste com a produção de laranja e tangerina, e na região oeste, que produz limão taiti e laranja. 

Texto: Rosa Cardoso/Ascom Adepará

Por Manuela Viana (ADEPARÁ)