Polícia Civil do Pará prende mais de 30 pessoas por direção sob uso de álcool durante Operação Tiradentes

Balanço foi divulgado nesta segunda-feira (25), com 61 procedimentos policiais instaurados e 45 prisões efetuadas, no total. Também foram fiscalizados 79 estabelecimentos comerciais, e um deles foi fechado.

25/04/2022 11h02 - Atualizada em 25/04/2022 11h50

A Polícia Civil do Pará participou, desde a última quinta-feira (21), da Operação Tiradentes, coordenada pela Secretaria de Estado de Segurança Pública e Defesa Social (Segup).  As ações reforçaram o efetivo policial em municípios do interior do estado, além da Região Metropolitana de Belém. O objetivo da operação foi garantir maior segurança aos paraenses que buscaram os principais balneários para aproveitar o feriado, além de garantir a tranquilidade para quem ficou na capital.

“Reforçamos o efetivo nas delegacias dos municípios que mais recebem turistas no interior, mas também as unidades da Região Metropolitana de Belém, visando melhor assistir a população para combater a criminalidade durante o feriado” destacou o delegado-geral da Polícia Civil, Walter Resende, que destacou que a corporação atuou com o efetivo de mais de 120 policiais civis e agentes do setor administrativo

Durante a operação, iniciada na última quinta-feira (21) e encerrada nesta segunda-feira (25), a Polícia Civil contabilizou 283 boletins de ocorrência registrados, 61 procedimentos policiais instaurados e 45 prisões efetuadas, sendo 30 por alcoolemia, durante ações integradas o Departamento de Trânsito do Pará (Detran) com operação Lei Seca, desenvolvida com o intuito de conscientizar e educar a população e autuar na forma da lei os condutores flagrados na ilegalidade da condução de veículos automotores sob o efeito de álcool. O trabalho reforça a necessidade de difusão de um trânsito seguro. 

Também foram fiscalizados 79 estabelecimentos comerciais por meio da Delegacia de Polícia Administrativa (DPA). O trabalho visou realizar o registro, licenciamento e fiscalização de estabelecimentos de diversões públicas, como bares, lanchonetes, restaurantes, hotéis, motéis, pousadas e similares nos municípios que possuem grande potencial turístico. Do total de estabelecimentos fiscalizados, 27 proprietários foram intimados a comparecer nos órgãos competentes para regularizar as situações dos seus estabelecimentos e um foi fechado pela falta da documentação necessária. 

Por Matheus Rocha (PC)