Hospital Ophir Loyola apoia retorno do Coral Voz e Vida

Formado por servidores, usuários e acompanhantes, o coral estava paralisado há dez anos e voltou a animar pacientes em tratamento oncológico

20/04/2022 19h59 - Atualizada em 20/04/2022 20h27

O Hospital Ophir Loyola (HOL) promoveu, na manhã desta quarta-feira (20), a reestreia do Coral Voz e Vida, evento alusivo ao período da Páscoa, após dez anos de paralisação das atividades. Com apresentações musicais e teatrais simultâneas, o momento permitiu a interação de servidores, pacientes e seus acompanhantes. A programação cultural, realizada no ambulatório da instituição, contou ainda com a apresentação simultânea do grupo coreográfico “Óasis”.

O canto coletivo que ecoou pelos corredores do HOL foi acompanhado pela história de vida de Leonam Oliveira. O educador e pesquisador assistido na Casa de Saúde recebeu alta médica no mês de março, quando venceu a luta contra um linfoma não Hodgkin (LNH). A narrativa foi guiada pela assistente social Laudilene Gonçalves, e emocionou os presentes. Grato à instituição que o acolheu, Leonam celebrou a cura com badaladas do Sino da Vitória. Foi “o melhor presente da vida”, afirmou.O Coral se apresentou no ambulatório, junto com o grupo coreográfico “Óasis”

A emoção também tomou conta da dona de casa Sandra Lopes, 54 anos, que trata um câncer de mama há seis meses no hospital. “Com a apresentação, eu recordei de muita coisa e fiquei emocionada demais. Adorei! Fiquei comovida, porque vi como uma inspiração de Deus. Foi lindo!”, declarou.

Narrativa - Em março de 2016, Leonam Oliveira soube que seria pai, e um mês depois recebeu o diagnóstico de linfoma não Hodgkin (LNH), após sentir fadiga, falta de ar e inchaços. Os exames detectaram massa compatível com neoplasia, e Leonam iniciou imediatamente o tratamento no Hospital Ophir Loyola. 

Leonam Oliveira: superação é referência para outros pacientesFormado em Educação Física e mestre em Cirurgia e Pesquisa Experimental pela Universidade do Estado do Pará (Uepa), Leonam atualmente é doutorando em Virologia, no Instituto Evandro Chagas. Foi no HOL que o educador conheceu a hematologista Ana Virgínia, a especialista que o acompanhou no tratamento e no incentivo aos estudos. “Desde o início, a doutora se manteve firme acompanhando o meu caso. Lembro que conversávamos muito sobre pesquisas, porque é um assunto que sempre me interessou, tanto que estou cursando doutorado graças ao incentivo dela”, relatou Leonam Oliveira.

Sensibilidade - A construção do repertório, a organização do concerto e a fluência musical acompanharam a narrativa de superação de Leonam. “Meu coração é extremamente grato. Eu encontrei o verdadeiro amor pela vida após passar pelo que passei”, disse o pai de Sofia e Benjamin.

Para a coordenadora de Humanização do HOL, psicóloga Rayssa Imbiriba, cantar em um ambiente coletivo é benéfico e terapêutico. “As atividades artísticas e culturais são instrumentos que proporcionam bem-estar e alegria. O retorno do Coral ‘Voz e Vida’ motiva e integra a gestão, funcionários, pacientes e acompanhantes”, ressaltou.

“Parabenizo a todos os envolvidos. Não poderia deixar esse projeto passar em branco, e é por isso que estamos aqui para celebrar e apoiar gestos de humanização em prol de melhorias para nossos servidores e pacientes”, afirmou a diretora-geral do HOL, Ivete Vaz.

Texto: Ellyson Ramos – Ascom/Hospital Ophir Loyola

Por Governo do Pará (SECOM)