Estado entrega mais de 3 mil motores rabeta a 31 Colônias de Pescadores 

Esta foi a segunda entrega de motores este ano, a primeira foi em fevereiro, com o repasse de 200 equipamentos

24/03/2022 16h02 - Atualizada em 24/03/2022 17h08

Principal fonte de renda de milhares de trabalhadores no Pará, a atividade pesqueira artesanal recebeu, nesta quinta-feira (24), um investimento histórico por parte do Governo do Estado. Foram mais de R$ 3 milhões investidos para a aquisição de 3.100 mil motores do tipo rabeta entregues para 31 Colônias de Pescadores. 

As rabetas foram entregues pelo governador, Helder Barbalho, durante a 26ª Edição do Congresso de Pesca do Norte e Sul do Pará, em Belém. Na ocasião, ele reforçou a importância do fortalecimento da pesca e da valorização de milhares de paraenses, que vivem da atividade nas diferentes regiões do Estado. 

“Nosso Estado é certamente o maior com número de pescadores e pescadoras por município. Somos o maior produtor de pesca artesanal do Brasil e podemos fazer da piscicultura, da aquicultura, da produção de pescado uma estratégia cada vez mais rentável para nosso Estado e para os pescadores. Este é um passo importante entre tanto que ainda daremos por esta causa”, ressaltou Helder Barbalho. 

Esta foi a segunda entrega de motores rabeta realizada pelo governo do Estado. Na primeira, ainda no mês de fevereiro, outros 200 equipamentos foram repassados para as Colônias de Pescadores Z49 (Gurupá – na região do Marajó) e Z65 (Porto de Moz – na região do Xingu). Os investimentos atuais fazem parte de um montante de R$ 7 milhões, do governo do Estado, por meio do Programa Pará Rural. 

Felipe Picanço, gerente-executivo do Núcleo de Gerenciamento do Programa Pará Rural, destacou outros benefícios dos investimentos realizados na pesca. “As 70 colônias de pescadores serão beneficiadas com o fortalecimento da agricultura local, da pequena produção e do pequeno produtor, com as mercadorias saindo das comunidades e vendidas de uma forma digna e com preço justo”, pontuou o gestor. 

Representante da Federação dos Pescadores do Pará (FEPA), entidade organizadora do Congresso, e deputado estadual, Orlando Lobato também lembrou a melhoria da atividade pesqueira a partir dos novos motores. “Para o pescador artesanal, esse motor é uma ferramenta que agiliza os deslocamentos pelos rios. Reduzir esse tempo significa mais tempo para exercer a captura (do pescado), gerando mais rentabilidade, melhorando a qualidade de vida e dos negócios”, detalhou Orlando. 

Manassés de Araújo Fonseca é pescador em Breves, na região do Marajó. Para ele, os motores entregue às Colônias de Pescadores são bem mais do que uma forma de agilizar a atividade. “Representa um direito para nós que fazemos parte da cadeia de produção desse pescado. São vários motores para pescadores que precisam e, que, hoje, estão sendo olhados com mais carinho e atenção”, disse o pescador.

Por Governo do Pará (SECOM)