Hospital Abelardo Santos adere à Campanha Internacional do Dia Mundial do Rim

Unidade é referência da rede pública estadual em nefrologia e, neste mês de março, se dedica, entre outras competências, às ações contra as doenças renais

03/03/2022 12h40 - Atualizada em 03/03/2022 13h27

O Hospital Regional Dr. Abelardo Santos (HRAS), no distrito de Icoaraci, em Belém, dedica março à prevenção das doenças renaisO Dia Mundial do Rim é uma campanha global de conscientização da saúde, focada na importância e na redução da frequência e do impacto das doenças renais e dos problemas associados à enfermidade. A data, anualmente, é celebrada na 2ª quinta-feira de março. Em alusão ao evento, o Hospital Regional Dr. Abelardo Santos (HRAS), no distrito de Icoaraci, em Belém, dedica-se ao mês de programação para alertar os usuários e colaboradores sobre a importância de cuidar da saúde, como forma de prevenir e, se for o caso, tratar.

As ações como palestras e atos de conscientização que serão promovidos pela unidade ao longo do mês de março, foram inscritas e aprovadas pelas entidades que regulam a campanha World Kidney Day (Dia Mundial do Rim), evento global sobre os alertas às doenças dos rins.

A programação internacional norteia os países a educarem pessoas por meio de workshops, palestras, exames de saúde, exposição e distribuição de cartazes e materiais educativos em hospitais, faculdades, centros comunitários e outras instituições e locais públicos, sobre a doença. O evento é uma iniciativa conjunta da Sociedade Internacional de Nefrologia e da Federação Internacional de Fundações do Rim.

Abelardo Santos ofertará exames, como teste de glicemia Para contribuir com a campanha, o Hospital Abelardo Santos, promoverá oferta de exames, como teste de glicemia e verificação da pressão arterial, orientações médicas, nutricionais e comportamentais para a manutenção de uma vida saudável. Além destas, serão promovidas blitz de estímulo ao consumo de água para a prevenção de doenças renais.

“O Dia Mundial do Rim é regulado por entidades internacionais e as ações nacionais são voluntárias, baseadas na internacional. Inscrevemos a unidade e as ações que vamos desempenhar no HRAS foram avaliadas e aprovadas pelas as entidades reguladoras do Dia Mundial do Rim”, detalhou o nefrologista Luís Cláudio Pinto, coordenador do serviço no HRAS.

IDEIA DA CAMPANHA - A campanha de 2022 tem como mote: ‘Preencher a lacuna de conhecimento para melhorar os cuidados com os rins’. A doença renal crônica (DRC) se caracteriza pela lesão irreversível nos rins, mantida por três meses ou mais, afetando uma em cada dez pessoas no mundo e com taxas crescentes de acometimento na população. Quando diagnosticada de forma precoce, sua progressão pode ser controlada ou retardada, na maior parte dos casos.

O nefrologista lembra que, em geral, a DRC não provoca sintomas significativos ou específicos nos estágios iniciais, fazendo com que seja fundamental o conhecimento sobre a doença, seus principais fatores de risco (como hipertensão arterial e diabetes mellitus) e exames simples de rastreamento diagnóstico (creatinina sérica e exame de urina). “A DRC pode ser grave, sobretudo quando evolui para estágios avançados, quando são necessários tratamentos como a diálise e o transplante renal”, destacou Luís Cláudio.

No Brasil, segundo dados da Sociedade Brasileira de Nefrologia (SBN), o número de pacientes com DRC avançada é crescente, sendo que atualmente mais de 140 mil pacientes realizam diálise no país.

Mesmo com a estimativa de que em 2040 a doença renal crônica possa ser a 5ª maior causa de morte no mundo, existe uma persistente lacuna de conhecimento sobre a doença, que não tem sido preenchida.

ALERTA - O diretor técnico do HRAS, Paulo Henrique Ataíde, observa que o tema da campanha em 2022, além de massificar o assunto, foca na educação como um pilar de conscientização social. “Os alertas são fundamentais para a educação renal em todos os setores da sociedade. O objetivo é alcançar os profissionais da área - para a garantia de uma assistência mais especializada e de qualidade - e os pacientes e seus familiares, para reforçar a importância de um estilo de vida saudável, além do alerta à criação de políticas públicas”, acrescentou o médico.

Os órgãos idealizadores da campanha elencam como obstáculos para uma melhor compreensão da saúde renal: a linguagem complexa utilizada nas informações sobre a DRC; a falta de conhecimento básico; a disponibilidade limitada de informações sobre o tema e a falta de prontidão para o aprendizado.

“O HRAS vem sendo destaque pelas suas atuações de alta e média complexidade. Agora, integrando a campanha internacional, a unidade soma esforços com inúmeras instituições do mundo, para o preenchimento da lacuna de conhecimento que vem sufocando a luta contra a doença renal. O Comitê de Direção Conjunta do WKD preconiza que todos ao redor do mundo fiquem cientes da doença e saibam ativamente quais são as medidas para manter uma boa saúde renal”, frisou Marcos Silveira, diretor executivo no Regional Abelardo Santos.

ONDE TRATAR?

A DRC é uma das principais causas de morte no Brasil, com 40 mil novos casos ao ano. Atualmente, o país soma mais de 140 mil pacientes em tratamento renal crônico, sendo 85% com terapia financiada através do SUS.

“Em Belém, HRAS é referência na Rede Estadual de Saúde do Pará em nefrologia. A unidade mantém uma clínica de hemodiálise com mais de 90 pacientes divididos em três turnos, além de oferecer a terapia em leitos clínicos e de UTI.  As campanhas relacionadas à doença são de extrema importância como forma de alertar toda a população sobre os riscos, causas, tratamentos e o principal, como prevenir”, enfatizou Rômulo Rodovalho, titular da Secretaria Estadual de Saúde Pública do Pará (Sespa). 

No Pará, além do Abelardo Santos, mais doze hospitais estaduais possuem tratamento de hemodiálise. Eles são: Hospital Regional do Tapajós (HRT), o Hospital de Clínicas Gaspar Vianna, Hospital Ophir Loyola, Santa Casa de Misericórdia do Pará, Hospital da Divina Providência, Hospital Santo Antônio Maria Zaccaria, Hospital São Francisco, Hospital Regional do Baixo Amazonas, Hospital Regional Público da Transamazônica, Hospital Regional Público do Araguaia, Hospital Regional Público do Marajó e Hospital Regional de Marabá.

OBJETIVOS DA CAMPANHA EM 2022

- Incentivar o público em geral a adotar uma dieta e estilos de vida saudáveis: acesso e consumo a água potável e a prática de exercícios físicos;

- Manutenção de dieta saudável;

- Controle do tabaco e cigarro;

- Capacitação de pacientes, cuidadores e parceiros;

- Reconhecer direitos dos pacientes;

- Exigir que os profissionais de saúde renal e as organizações de pacientes ofereçam informações relacionadas à DRC de acordo com os níveis de alfabetização;

- Incentivar e apoiar os médicos de cuidados primários a melhorar o seu reconhecimento e gestão de doentes com DRC, desde a prevenção à detecção precoce;

- Integrar a prevenção de DRC e insuficiência renal em programas nacionais de doenças não transmissíveis para serviços abrangentes e integrados;

- Informar os políticos sobre o impacto da doença renal e da insuficiência renal na saúde.

*Texto de Roberta Paraense

Por Governo do Pará (SECOM)