Abelardo Santos usa práticas terapêuticas para contribuir com saúde mental de profissionais

Técnicas ajudam no relaxamento daqueles que enfrentaram a pandemia e a rotina na assistência aos pacientes

27/01/2022 15h44 - Atualizada em 27/01/2022 16h03

Uma pequena pausa durante a jornada de trabalho para incentivar a pratica do autocuidado foi uma das estratégias usadas no Hospital Regional Dr. Abelardo Santos (HRAS), no distrito de Icoaraci, em Belém, para alertar os colaboradores da unidade a refletirem sobre a importância do zelo com a saúde mental e emocional. A iniciativa visa reforçar a campanha brasileira “Janeiro Branco”, que desde 2014 reserva o mês para levantar discussões sobre o tema. Segundo o Ministério da Saúde, no Brasil, são mais de 18 milhões de pessoas afetadas pela ansiedade.

Dados divulgados em 2021 pela Fundação Getúlio Vargas mostram que 80% dos trabalhadores da saúde sentem impactos negativos com as emoções causados pela pandemia, sendo que apenas 19% buscaram ajuda para lidar com o problema. Pensando na valorização desses profissionais, o Grupo de Humanização do HRAS, proporcionou, neste mês, tardes de hobbies terapêuticos, com massagem nos pés e ginástica laboral com foco em técnicas de respiração, como terapia mental. 

Motivação

Para a auxiliar administrativo Jessica Santos, que recebeu massagem nos pés, a pausa durante o expediente foi um alívio para o corpo e a mente. "Eu priorizo o bem-estar físico, mental e social. Eles são essenciais para obter uma visa saudável. Por muitas vezes, eu chego em casa e não quero fazer mais nada, mas agora vou praticar mais o autocuidado”, frisou.

Quem também teve uma tarde prazerosa foi a assistente social do HRAS Renata Soares, que parabenizou o momento de diálogo, descontração e autoavaliação. “Me senti lisonjeada como profissional da saúde em ter participado da programação, que trabalhou esse tema tão atual e urgente de forma leve e divertida, para nos alertar que às vezes estamos no automático e esquecemos que para cuidar dos outros, precisamos cuidar primeiro de nós”, destacou.

Acolhimento

A psicóloga do Recursos Humanos do HRAS, Radharani Andrade, explicou por que é válido tirar os colaboradores da zona de conforto para debater sobre a importância do tema.D

"Dessa forma, proporcionar uma atividade diferente no ambiente de trabalho, impacta, positivamente, no desempenho das suas funções e no atendimento aos usuários", disse. A psicóloga lembra que profissionais da unidade que apresentam problemas mentais e emocionais também contam com o serviço de escuta como forma de acolhê-los. “O projeto Escuta do Colaborador foi pensado para proporcionar aos colaboradores um ambiente seguro e confortável de acolhimento e/ou orientação diante de dificuldades e demais questões emocionais,” completou Radharani.

O diretor executivo do Abelardo Santos, Marcos Silveira, garante que a unidade abre espaço para ações de promoção à saúde, independentemente da campanha. "Entendemos que trabalhar com o cuidado de pessoas, é proporcionar espaços de interação, de relacionamentos e de acolhimento. Durante o ano todo, o HRAS conta com uma equipe de psicólogos para atender a todos os colaboradores que estão passando por alguma dificuldade, como o Projeto Escuta do Colaborador. A campanha Janeiro Branco só vem fortalecer esse discussão, mostrando que esse tema deve ser, cada vez mais, debatido na sociedade", comentou o gestor. 

O Hospital Abelardo Santos é a maior unidade pública do Governo do Estado. Ela é administrada pelo Instituto Mais Saúde, em parceria com a Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa).

Texto: Roberta Paraense/ Ascom HRAS

Por Luana Laboissiere (SECOM)