No dia do Carteiro, moradores da Cabanagem relembram como era o serviço antes da chegada do TerPaz

Correspondências e encomendas não eram recebidas nas casas devido aos riscos de roubos a que esses profissionalizados estavam expostos

25/01/2022 13h45 - Atualizada em 05/02/2022 19h08

Nesta terça-feira (25) é comemorado o dia do carteiro no Brasil, serviço que, de acordo com a agente comunitária de saúde Isabele Coelho, não era realizado no bairro da Cabanagem, em Belém, devido ao alto índice de criminalidade. Ela relembra como era a comunidade antes da chegada do Programa Territórios pela Paz (TerPaz), do Governo do Estado.

“Teve um tempo que os carteiros não entravam aqui na Cabanagem por causa da criminalidade, mas depois que o TerPaz veio, essa realidade mudou, o policiamento se tornou constante. Os carteiros não entravam antes porque era muito roubo, principalmente quando eles iam entregar encomendas e produtos comprados via internet”, relatou a moradora.

O programa TerPaz foi implantado no bairro da Cabanagem em junho de 2019, marcando também a entrada das políticas de inclusão social na comunidade. 

“A chegada do programa Territórios pela Paz na Cabanagem em 2019 alterou profundamente as condições de insegurança pública em que vivia aquela comunidade. No período inicial de dois anos, mais de 80 mil atendimentos diretos foram realizados pelos serviços prestados. Hoje, após esse tempo de atuação, nós continuamos com serviços regulares com entregas de correspondências e encomendas. Depois da entrada da Secretaria de Segurança Pública, Polícia Militar, Polícia Civil e dos Bombeiros, nós tivemos a entrada regular de um conjunto de serviços oferecidos por mais de 30 secretarias e órgãos do governo, que são serviços de caráter social, geração de oportunidades, educação, cultura, profissionalização, de melhoria de residências e melhoria de condições asfálticas’’, relatou o titular da Secretaria Estratégica de Articulação da Cidadania (Seac), Ricardo Balestreri.

De acordo com o carteiro Israel Junior, com a presença do Estado, os profissionais puderam retomar a entrega de correspondências e encomendas aos moradores do bairro, que não recebiam nas próprias residências porque as entregas haviam sido suspensas em função dos roubos e riscos ao que carteiros estavam expostos.

“Em contato com os carteiros que atuam na região, eles confirmaram que, desde a entrada no TerPaz na Cabanagem, não existe mais o mesmo cenário de violência e criminalidade. Antes estava muito difícil, naquela época, os carteiros locais procuraram o sindicato. Chegamos a um acordo com a gestão dos Correios, para suspender as entregas na região, que só foi retomada em 2019, com a chegada do TerPaz, quando tudo mudou’’, disse o carteiro.

Usina da Paz

O bairro da Cabanagem também é polo do projeto “Usinas da Paz” (UsiPaz), que consiste em grandes complexos públicos, em áreas de aproximadamente 10 mil metros quadrados, com a finalidade de garantir a permanência do Estado nos territórios, com ênfase na prevenção à violência, inclusão social e fortalecimento comunitário, com três eixos fundamentais: assistência, esporte/lazer e cultura. 

‘’Com a chegada da Usina da Paz aqui na Cabanagem, nós firmamos definitivamente a presença e o enraizamento em uma comunidade que estava invisível e esquecida. Uma comunidade de gente boa, trabalhadora, honesta, criativa e acolhedora, para a qual só faltava oportunidades. E aí está o programa Territórios pela Paz oferecendo essas oportunidades e particularmente hoje pela Usina da Paz. Quando há presença do Estado, a violência e o crime diminuem e é isso que o Estado do Pará vem fazendo: se mostrando vivamente presente no seio de uma comunidade que merece todo o nosso carinho e a nossa atenção”, concluiu Balestreri.

A UsiPaz é um complexo comunitário integrado ao programa Territórios Pela Paz (TerPaz) e promove diversas atividades voltadas para o público em geral. São ofertados mais de 80 serviços gratuitos, disponibilizados pelos órgãos e entidades parceiras do Estado, como espaços para atividades esportivas; salas de audiovisual e inclusão digital; atendimento médico e odontológico; consultoria jurídica; emissão de documentos; ações de segurança; capacitação técnica e profissionalizante; espaço multiuso para feiras, eventos e encontros da comunidade.

Também há espaços para cursos livres e de dança, teatro, robótica, artes marciais, musicalização e biblioteca. Além disso, é disponibilizado pela Empresa de Tecnologia da Informação e Comunicação do Pará (Prodepa) sinal de wi-fi gratuito para os moradores que vivem próximo à Usina da Paz.
O complexo funciona de terça-feira a sexta-feira, das 8h às 22h, aos sábados e domingos, das 8h às 18h.

Por Elizabeth Teixeira (SEAC)