Uepa mantém apoio à campanha "Belém Vacinada" na etapa de imunização infantil

Os dois campi da Uepa funcionam entre 9h e 17h, de segunda a sexta-feira, exclusivamente para a aplicação de doses dos imunizantes contra o vírus da Covid-19

24/01/2022 15h55 - Atualizada em 24/01/2022 16h20

A Universidade do Estado do Pará (Uepa), por meio do campus IV da Escola de Enfermagem e do campus II do Centro de Ciências Biológicas e da Saúde (CCBS), segue no apoio à Campanha Belém Vacinada, da Secretaria Municipal de Saúde de Belém (Sesma). Os dois campi da Uepa integram a rede de 17 postos de vacinação ativos na capital paraense, que funcionam entre 9h e 17h, de segunda à sexta-feira, exclusivamente para atendimento e aplicação de doses dos imunizantes contra o vírus da Covid-19. 

Para receber a vacina é necessário que a criança esteja acompanhada pelo responsável, que deve apresentar o seu cadastro de pessoa física (CPF) e, caso o menor de idade também possua carteira de identidade e CPF, ambos os documentos devem ser apresentados. Nos postos, o termo de responsabilidade para vacinação contra a Covid-19 é disponibilizado, para ser assinado pelo responsável da criança.

Para o diretor do CCBS, Emanuel Sousa, a continuação da parceria entre a Uepa e a Sesma é de grande importância para o avanço rápido no processo de imunização de todo o território paraense. “O fato de nós termos cedido espaços e equipes de voluntários, por meio do nosso colegiado docente e discentes para a aplicação das vacinas nas crianças, demonstra a importância da nossa missão como instituição, que prioriza o bem-estar da população paraense”, afirmou.

A primeira dose da vacina Pfizer pediátrica contra a covid-19 está disponível para crianças entre 6 e 11 anos nascidas entre 2010 e 2015.

A movimentação no CCBS está intensa desde o começo desta nova etapa da Campanha Belém Vacinada. Rafael Alcântara foi um dos pais que esteve presente, na primeira semana, para levar a filha Gabriela Alcântara, 8 anos, para receber a vacina.

“Foram dois anos ansiosos, à espera de que minha filha pudesse ser vacinada contra a Covid-19 e espero que todos os pais e mães façam o mesmo, pois a vacina é importante e ela salva”, ressaltou.

 

Texto: Daniel Leite Jr/Ascom Uepa

Por Daniel Leite Júnior (UEPA)