Carretas do TerPaz oferecem atendimento de saúde e cidadania para atingidos pelas enchentes em Marabá

Serviços médicos e especialidades, além da emissão de documentos estarão disponíveis até o dia 23, no horário de 8h às 14h, em dois locais

19/01/2022 11h49 - Atualizada em 19/01/2022 12h10

Para auxiliar no recomeço da vida das pessoas afetadas pelas cheias dos rios Tocantins e Itacaiúnas, em Marabá, a partir da manhã desta quarta-feira (19), o Governo do Estado iniciou o atendimento de saúde e cidadania, por meio de duas carretas adaptadas do projeto "TerPaz, Formação Profissional".

Os serviços médicos e especialidades e emissão de documentos estão disponíveis até o dia 23, no horário de 8h às 14h, em dois locais:  Escola Estadual Plínio Pinheiro e Centro Regional de Governo do Sudeste do Pará.

A Coordenadoria Estadual de Defesa Civil conduz nos abrigos a mobilização das pessoas para o cadastro no Programa Recomeçar e fazer o atendimento de saúde e cidadania nas carretas. Alcilene Medeiros, 27 anos, está no abrigo da Folha 32, e precisou emitir os documentos dos filhos que foram perdidos na enchente. “É muito importante, estamos precisando. Trouxeram a gente para fazer o cadastro e está indo tudo bem. O documento é necessário para levar para as escolas, agora no começo das aulas”, conta Alcilene.

O secretário regional de Governo do Sudeste do Pará, João Chamon Neto, acompanhou de perto as ações, diante da urgência da situação. “Todos os atingidos pelas enchentes, começando pelos desabrigados, são conduzidos dos abrigos mais próximos para receber os atendimentos e a partir de amanhã estaremos fazendo o trabalho in loco na aproximação dos abrigos, para que todos tenham acesso aos exames de saúde, testes de Covid, recebimento de kit de higiene bucal e ações necessárias para mitigar esse sofrimento que estão passando, além dos documentos, pela Polícia Civil”, detalhou João Chamon Neto.

Técnicos da Defesa Civil do Estado cadastram as famílias para que possam receber o auxílio do Programa "Recomeçar", oferecido em caráter emergencial pelo Governo do Pará. As famílias em situação de vulnerabilidade social são beneficiadas com o valor de um salário mínimo vigente em 2022 (R$ 1.212,00) para que possam utilizar neste momento crítico.

“O cadastro do Recomeçar está fluindo bem e cumprimento os homens do Corpo de Bombeiros que estão nessa tarefa. Cerca de 300 famílias já foram atendidas em dois dias. Amanhã começa novamente com um novo público de desabrigados que corresponde a cerca de 700 famílias. Depois os desalojados, que não estão nos abrigos, também serão buscados para ter acesso ao Programa Recomeçar, de forma que entre 2.700 a 3 mil famílias que devem receber um salário mínimo para suportar esse momento difícil que todos estão vivendo”, acrescentou o secretário João Chamon Neto.

Entre as famílias está a de Rildo Soares do Couto, 31 anos, que precisa emitir de carteira de identidade e de trabalho, além do CPF, registro de nascimento. “Perdi quase todos os meus documentos praticamente. Essa ação ajuda demais, sem os documentos é difícil até de conseguir um emprego e ter direito a outros benefícios do governo. Minha esposa já foi cadastrada no Recomeçar”, pontua Rildo.

Saúde

Na área da saúde, serão ofertados cerca de 200 atendimentos médicos por dia, nas especialidades de Clínica Médica, Pediatria e Ginecologia, além de vacinas (covid e tríplice viral) e exames (testes rápidos de covid-19, sífilis, hepatite B e C e HIV), além da distribuição de mil fracos de álcool em gel e máscaras descartáveis para a população.

A coordenadora do Projeto “Saúde Por Todo o Pará”, Marilda Braga, reforça a importância da ação. “Algumas pessoas prejudicadas por essa enchente estão doentes por conta do tempo ou por conta das doenças tropicais que atacam essa época. Então tem vários fatores e a gente vai tentar suprir essa necessidade”, pontua.

Já nas ações de cidadania, o objetivo é emitir cerca de 500 carteiras de identidade por dia, totalizando 2.500 ao longo de toda a ação. “Nesses desastres, muitas pessoas perdem documentos e bens materiais. Com os servidores do setor de identificação da Diretoria de Identificação Enéas Martins (Didem), esse serviço será agilizado, desde o auxílio ao cadastro até a emissão da identidade, para que, de posse desse documento, elas possam também ter acesso a outros benefícios do Estado nesse momento delicado”, explicou o delegado Geral da Polícia Civil, Walter Rezende. 

O atendimento conta com uma equipe de mais de 40 pessoas, entre servidores da Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa) e da Polícia Civil.

Por Dayane Baía (SECOM)