Acidente de trânsito foi a principal causa de internação do Hospital Metropolitano em 2021

Mesmo em ano pandêmico, vítimas deste tipo de ocorrência corresponderam a cerca de 35% do total de internações realizadas na unidade

18/01/2022 13h58 - Atualizada em 18/01/2022 14h27

Um levantamento realizado pelo Hospital Metropolitano de Urgência e Emergência (HMUE), gerenciado pela Pró-Saúde em Ananindeua, revelou que os acidentes de trânsito representam a principal causa de internações realizadas na unidade ao longo de 2021.

A unidade, que pertence ao Governo do Estado e é referência em atendimentos de queimados e vítimas de traumas no Norte do Brasil, registrou 7.758 internações gerais no ano passado, das quais 2.690 são de vítimas de acidentes de trânsito, o que corresponde a 34.67% do total de internações.

O perfil dos pacientes internados em decorrência de acidentes de trânsito é prioritariamente formado por jovens, entre 20 e 39 anos, do sexo masculino. No entanto, crianças e adolescentes, de um a 14 anos de idade, também aparecem na lista, o que serve como sinal de alerta.

“Em todos os contextos, é importante que as pessoas tenham responsabilidade e sigam as diretrizes básicas estipuladas pelos órgãos competentes como, por exemplo, respeitar os limites de velocidade, não ingerir bebidas alcoólicas, usar o cinto de segurança e respeitar a sinalização”, comenta a médica e diretora técnica do HMUE, Renata Coutinho.

Custo médio por paciente 

Segundo a Associação Brasileira de Medicina do Tráfego (Abramet), em um recorte feito de janeiro a julho em 2021, o número de internações de motociclistas bateu recorde histórico no Brasil, alcançando 71.344 casos graves e que exigiram a hospitalização do motociclista.

Um acidente pode gerar alto custo para a saúde dos indivíduos, famílias e aos cofres públicos. Somente no ano passado, o Sistema Único de Saúde (SUS) desembolsou cerca de R$ 100 milhões para tratar apenas motociclistas traumatizados.

 No Hospital Metropolitano, o custo médio de cada alta, independentemente, do motivo da internação, é de cerca de 21 mil reais. O dado toma como base a média de dias de internação dos pacientes, que varia entre oito e 18 dias. Em caso mais graves e complexos, em que esse período é ampliado, o custo é ainda maior.

 “A gravidade do quadro de cada paciente varia bastante, mas, geralmente, são jovens que têm plena atividade social, trabalham, estudam e um único acidente pode mudar tudo e deixar marcas para a vida toda”, afirma a médica.

Há quatro anos, para conscientizar motoristas, o HMUE realiza o Projeto Direção Viva, que conta com diversas ações educativas ao longo do ano, como, por exemplo, em fevereiro, por conta do carnaval; maio, que celebra a campanha de cuidados no trânsito; julho, novembro e dezembro, por conta das férias e festas de fim de ano.

Dicas para evitar acidentes de trânsito

1. Respeite os limites de velocidade.

Considere o limite de velocidade imposto em cada via. Respeitar a sinalização é fundamental para que o fluxo ocorra dentro da normalidade.

2. Se for dirigir, não consuma bebidas alcoólicas.

O consumo de álcool e outras drogas são capazes de diminuir o reflexo do motorista, fator que pode gerar grandes tragédias.

3. Enquanto dirige, não use o celular.

Os celulares podem atuar como vilões, pois, em questão de segundos, tiram a atenção do condutor.

4. Mantenha as revisões do veículo (carro ou moto) em dia.

Manter as medidas preventivas de segurança do veículo regularizadas é fundamental para a segurança de todos, pois garantem que nada de negativo, involuntariamente, acontecerá.

Texto: Alberto Dergan/HMUE

Por Roberta Vilanova (SESPA)