Governo do Estado e Prefeitura de Marabá realizam cadastro de desabrigados

As enchentes deixaram 527 famílias desabrigadas, 1.061  famílias desalojadas, 335 ribeirinhos atingidos e 346 famílias ilhadas, totalizando 2.269 famílias atingidas

15/01/2022 17h19 - Atualizada em 15/01/2022 21h10

O Governo do Pará enviou militares do Corpo de Bombeiros do Pará e policiais militares à Marabá, sudeste paraense, neste sábado (15), para reforçar o contingente que já atua na área afetada. No total, o Governo disponibiliza um efetivo de 100 agentes de segurança para dar início ao cadastramento das famílias desabrigadas e desalojadas pelas enchentes no município. Os trabalhos serão realizados na Sala de Situação/Gabinete de Crise, instalada na Secretaria Regional de Governo de Marabá.

Neste primeiro momento, o Governo do Estado informa que famílias atingidas pelas enchentes ainda não precisam se deslocar até a Defesa Civil e a Secretaria de Assistência Social do município, para a realização do cadastro relacionado ao repasse do benefício no valor de um salário mínimo do Programa Recomeçar. 

LEIA MAIS

Governo do Estado vai construir abrigos para famílias atingidas pelas enchentes em Marabá

Polícia Civil do Pará vai emitir 5 mil carteiras de identidade para vítimas das enchentes em Marabá

De acordo com o último boletim divulgado pelo Corpo de Bombeiros de Marabá, nesta sexta-feira (14), as enchentes deixaram 527 famílias desabrigadas, 1.061  famílias desalojadas , 335 ribeirinhos atingidos e 346 famílias ilhadas, totalizando 2.269 famílias atingidas. 

Iniciativa -  O Programa “Recomeçar” concede de forma eventual auxílio financeiro em parcela única, no valor de R$ 1.212,00, às famílias paraenses em vulnerabilidade social, devido à de calamidade pública ocorrida no primeiro semestre de 2022, e à situação de emergência ocasionada por fortes chuvas, deslizamentos, inundações, enxurradas e alagamentos. O objetivo da iniciativa do governo é oferecer às famílias um valor que possam utilizar na reconstrução dos imóveis.

Cadastro - Para ter acesso ao benefício, a família deve ter renda mensal de até três salários mínimos e residir em imóvel atingido diretamente pelas fortes chuvas, de forma grave.

Por Bruno Magno (CPH)