'Caixa D’Água Para Todos’ beneficia mais de 50 mil paraenses atendidos pela Cosanpa

Cerca de R$ 26 milhões foram investidos para a melhoria dos serviços de abastecimento de água, por meio do Programa

03/01/2022 12h08 - Atualizada em 04/01/2022 12h53

Morador do bairro da Pedreira, Bruno Moura foi um dos beneficiados pelo programa da Cosanpa

Mais de 50 mil pessoas foram beneficiadas com a instalação de 10.411 caixas d'água em 25 bairros e distritos de Belém e da Região Metropolitana. A iniciativa faz parte do programa ‘Caixa D’Água Para Todos’, desenvolvido pela Companhia de Saneamento do Pará (Cosanpa), que já investiu cerca de R$ 26 milhões para a melhoria dos serviços de abastecimento de água, por meio do programa.

O presidente da Cosanpa, José De Angelis, afirma que a meta do programa é distribuir e instalar 11.060 caixas d'água nas casas de pessoas de baixa renda. “Trabalhamos para melhorar o abastecimento de água para pessoas sem condições de arcar com os custos da compra e instalação do reservatório residencial”, afirma. A Companhia estuda a ampliação do benefício para contemplar ainda mais paraenses em outras regiões do estado. 

O programa beneficia clientes da Cosanpa que possuam até 4 pontos de água em casa, estejam em dia com as contas ou tenham interesse em negociar débitos, sejam residentes dos bairros selecionados e a residência tenha condições de receber a estrutura da caixa d´água, que tem capacidade de atender uma residência de até 5 pessoas por 24h.

O fotógrafo Bruno Moura é morador do bairro da Pedreira e há mais de 4 meses teve sua caixa d’água instalada por meio do programa. “O principal benefício após a instalação é que mesmo quando há manutenção da Cosanpa, que necessite interromper o abastecimento para realizar o serviço, temos o apoio da caixa e não ficamos mais sem água. Essa iniciativa traz qualidade de vida pra nós”, destaca. 

Não é necessário fazer inscrição no programa, segundo o presidente da Companhia, porque o próprio cadastro da Cosanpa foi utilizado para identificar consumidores que se encaixavam no perfil de beneficiários. “Os técnicos sociais foram até as casas desses moradores para verificar se o seu imóvel tinha condições estruturais de receber a instalação”, explica. 

Moradores dos bairros da Pedreira, Curió-Utinga, Marco, Guamá, Jurunas, Sacramenta, Barreiro, Telégrafo, Condor, Cremação, Terra-Firme, Benguí, Mangueirão, Tapanã, Pratinha, Parque Verde e dos distritos de Icoaraci, Mosqueiro e Outeiro foram contemplados.

Por Giovanna Abreu (SECOM)