Disque Denúncia registra aumento de 3%, de janeiro a dezembro, com 190 mil denúncias

Por todo ano de 2021, a população se manteve parceira da Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social do Pará (Segup), na prevenção da criminalidade

30/12/2021 12h22 - Atualizada em 30/12/2021 13h57

Instituído para ser um canal de denúncia anônima da Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social do Pará (Segup), o Disque-Denúncia tem sido uma importante ferramenta do sistema para investigação e elucidação de diversos crimes, sendo fundamental para o trabalho integrado dos órgãos que compõem o Sistema de Segurança Pública do Estado (Sieds).

Em 2021, foram recebidas 190.211 denúncias, de janeiro a dezembro no Pará, segundo o último balanço do Disque Denúncia. A marca representa um aumento de 3,2% em relação ao mesmo período do ano passado, quando foram registradas 184.161 denúncias. Com várias formas de acionamento por parte da sociedade, a principal delas ainda é pelo telefone 181 com 157.124 ligações, o que representa 82,6% das denúncias realizadas.

O Disque Denúncia é um canal disponível à população que pode e deve fornecer informações sobre crimes iminentes e sobre ocorrências ilegais já consumadas. Para o secretário da Segup em exercício, coronel Alexandre Mascarenhas, o órgão representa um elo entre a sociedade e o sistema público de segurança.

“O Disque Denúncia é um dos canais oficiais de denúncia e como tal tem sido uma ferramenta primordial para a elucidação de alguns crimes e no combate à criminalidade e o cometimento de infrações em geral”, avalia o secretário. Qualquer cidadão com informação que possa contribuir para esclarecer crimes deve colaborar com a polícia.

Canais - O Pará é um dos poucos estados do Brasil a ter 4 sistemas integrados para o cidadão se comunicar diretamente com a segurança pública. Além do número 181, existe também o WhatsApp, atendido pela atendente virtual, Iara (Inteligência Artificial Rápido e Anônimo), que é a versão on-line do serviço eletrônico, além  do ChatBot e o Formulário Web.

Apesar de o WhatsApp ser a segunda via de acionamento mais utilizada para realizar denúncias, é também o que vem apresentando uma ascensão em relação aos demais. Em 2021, de janeiro a dezembro, foram 30.952 chamadas, um aumento de 65,1% em relação ao ano passado. Na avaliação do secretário da Segup, a maior utilização por parte da população deve-se à confiança que as pessoas possuem no sistema.

“Nesses últimos anos temos aumentado a participação da sociedade, inclusive com a integração na ferramenta digital do Whatsapp para fazer as denúncias porque esta ferramenta permite que sejam colocadas fotos georreferenciadas com o local da infração. Isso dá mais segurança e confiabilidade para o denunciante e também propicia dados mais apurados para o sistema investigar e debelar o crime que está sendo cometido”, pontua Mascarenhas.

Além do 181 e do Whatsapp, a Segup disponibiliza ainda o campo do chatbot (bate-papo), na parte inferior de todos os sites dos órgãos da área de segurança pública do Pará, como o da própria Segup, polícias Militar e Civil, Corpo de Bombeiros. Há também a oferta de formulário on-line para o recebimento de denúncias no site segup.pa.gov.br. Após o recebimento das informações e o preenchimento de protocolo, as denúncias são destinadas aos órgãos competentes. Em todos os casos, é garantido o sigilo e o anonimato do cidadão.

Maiores ocorrências

De acordo com o último levantamento do disque denúncia, as três maiores ocorrências feitas em 2021 são: tráfico de entorpecentes (7.516), poluição sonora (4.284) e desobediência ao decreto Covid-19 (3.397).

Através das denúncias realizadas pela sociedade é possível identificar os crimes e sua procedência, o que permite o levantamento e medidas de prevenção. “O sistema agradece a participação da população que contribui para a investigação da Polícia Civil e para o policiamento ostensivo da Polícia Militar, distribuído nos bairros, de acordo com denúncias da sociedade”, finaliza o secretário Mascarenhas. 

*Texto de André Macedo

Por Walena Lopes (SEGUP)