No Conjunto Riacho Doce, Natal teve sabor de realização e agradecimento

Unidades habitacionais no Riacho Doce I e II, entregues pelo governo do Estado, transformam a vida de quem manteve acesa a chama da esperança

26/12/2021 19h03 - Atualizada em 26/12/2021 22h31

Os conjuntos Riacho Doce I e II têm das 97 unidades habitacionais, no bairro da Terra Firme“Um presente de Natal antecipado. Há 20 anos, sonhávamos com a chegada do dia em que teríamos a nossa casa própria. E esse dia chegou. Não tenho nem palavras para descrever a minha felicidade em poder dizer que estou morando em um local que é meu. Esse Natal vai ser completamente diferente e muito especial, porque será o primeiro que não precisamos passar na casa dos outros. Só posso agradecer a Deus e ao governo do Estado”. As palavras da dona de casa Cláudia Suely Araújo refletem o alívio e a gratidão das pessoas contempladas com a entrega das 97 unidades habitacionais dos conjuntos Riacho Doce I e II, no bairro da Terra Firme, em Belém. O ato oficial de repasse das unidades pelo governo do Estado ocorreu na última terça-feira (21). 

O presidente Companhia de Habitação do Pará (Cohab), Orlando Reis, ressalta que o Estado prioriza famílias em situação de vulnerabilidade na entrega de moradia de qualidade, com estrutura e condições dignas. “Saber que os moradores do Riacho Doce estão recebendo os apartamentos, e já estão morando nesses lares, fecha um importante ciclo. O trabalho que o governo vem desenvolvendo na capital também é refletido nas outras regiões do Pará, onde as nossas ações estão beneficiando milhares de famílias", destaca Orlando Reis.Governador Helder Barbalho no ato de entrega das unidades habitacionais

As obras de construção das unidades foram iniciadas em 2006, e se arrastaram até a retomada pela atual gestão. Além de saneamento básico e mobilidade urbana, as obras, que fazem parte do Projeto de Macrodrenagem da Bacia do Tucunduba, abrangendo os bairros do Guamá, Terra Firme, Canudos e Marco, garantem moradia digna para famílias que precisaram ser remanejadas por conta das intervenções no canal, ou que estavam inscritas em programas de assistência habitacional do governo.O investimento em moradia digna é uma das prioridades do Governo do Pará

“Confiei que este governo daria continuidade nas obras paradas, acreditando que o nosso sonho poderia se tornar realidade, e se tornou. Estou tão feliz que, no mesmo dia da entrega, já comecei a trazer as minhas coisas. Mesmo com pouco tempo, e ainda em mudança, já posso dizer que me sinto em casa aqui”, ressalta Cláudia Suely.

O Estado investiu em torno de R$ 25 milhões nas obras, executadas pela Secretaria de Estado de Desenvolvimento Urbano e Obras Públicas (Sedop). Os 97 apartamentos entregues fazem parte de um conjunto de 368 unidades habitacionais nos conjuntos Riacho Doce I, II e III, que já estão prontas para serem habitadas, e serão entregues pela Cohab nos próximos meses.

Para os moradores, o imóvel é o começo de uma nova vidaEsperança - A dona de casa Jane Costa, também contemplada, afirmou que o Natal deste ano foi de esperança, recomeço e alegria. Para ela, o novo apartamento é um presente de aniversário, que ela comemorou no dia 19 de dezembro.

“Há mais de 20 anos eu aguardava por este momento; sonhava em poder passar o Natal na nossa casa própria. Todas as dificuldades que vivemos, inclusive um incêndio na nossa antiga moradia, e a necessidade de morar em alojamentos provisórios, nos fortaleceram, e hoje podemos viver essa maravilha. É um presente de aniversário, de Natal, de Deus. Muita gente nem acreditava que sairia do papel. Eu acreditei. Até sonhei, literalmente, com essa entrega, e se realizou. Só gratidão no coração”, garantiu. Casa nova e própria: tranquilidade para dezenas de famílias

Estrutura - Cada unidade dos blocos Riacho Doce I e II tem 47,09 metros quadrados (m²), divididos em sala de estar e jantar, três dormitórios, cozinha e área de serviço. A área condominial tem pista de acesso pavimentada em blocos de cimento (bloquetes), piso-grama no entorno dos blocos, 24 vagas para estacionamento, uma praça com quase 225 m², bancos em concreto armado com encosto, iluminação pública e área gramada.

As unidades também contam com uma estação de tratamento de água compacta, cujo sistema de reserva é composto por um reservatório apoiado de 400 metros cúbicos (m³) e um reservatório elevado de 300 m³.

Por Giovanna Abreu (SECOM)