Governo estimula pequena pecuária com mais de R$ 1,5 mi de crédito rural em Alenquer 

Projetos da Emater estimam mais R$ 1 milhão até a virada de 2022

21/12/2021 09h40 - Atualizada em 21/12/2021 10h39

Mesmo em um cenário de pandemia, recessão econômica e ameaça de insegurança alimentar, projetos do escritório da Empresa de Assistência e Extensão Rural do Estado do Pará (Emater) estão movimentando mais de R$ 1 milhão e meio na pequena pecuária de corte do município de Alenquer, na região do Baixo Amazonas, por meio da plataforma Banco da Amazônia (Basa) Digital.  

Desde outubro até o início de dezembro, 77 famílias de 40 comunidades receberam, cada uma, cerca de R$ 23 mil das linhas Custeio Pecuário, para compra de gado Nelore e insumos pecuários, e Custeio Agrícola, para expansão de lavoura de mandioca, do Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf). 

A expectativa de Emater e Basa é de que até o fim do ano mais 49 famílias sejam beneficiadas, complementando o montante em mais de R$ 1 milhão. 

Para o chefe do escritório local da Emater, o técnico em agropecuária Waldomiro Yared, a plataforma do Basa Digital tem transformado a dinâmica de crédito em Alenquer.

 “Além de abrir espaço para novas categorias de pecuaristas, por exemplo, que não se enquadravam em linhas anteriores por causa de tamanho de propriedade, é um acesso muito rápido se comparado ao trâmite convencional: conseguimos aprovar até no mesmo dia, pelo celular, e liberar recurso em uma semana”, comenta ressaltando o auxílio da tecnologia. 

 

Investimento 

A Fazenda R. Sousa é um endereço de parentesco. Na chamada “Região dos 15”, a propriedade de 25 hectares, do agricultor Rosivan Sousa, 47 anos, é avizinhada à esquerda pela fazenda do tio, Erivaldo Sousa, 75 anos, e, à direita, pela fazenda dos pais: Rosivaldo, 79 anos, Ismaelita, 75 anos - da Fazenda São Jorge.  

Com algumas restrições presenciais por conta da pandemia, a família irá passar as festas de fim de ano na Fazenda São Jorge, comemorando o primeiro crédito rural recebido por Rosivan para pecuária. 

Com os recursos, ele comprou novos animais Nelore e aumentou o rebanho em mais de 30%. O objetivo é, com o acompanhamento da Emater e gestão de negócio, dobrar o rebanho em pouco mais de cinco anos, com venda direta de carne. 

“Eu não tinha capital para esse giro e esse incremento. Fora isso, a Emater vai me ajudar nas plantações, porque eu perco muito na época das chuvas”, conta o empreendedor, que investe, ainda, em milho e melancia. 

Texto: Aline Miranda/Ascom Emater

Por Luana Laboissiere (SECOM)