Sedeme conhece processo produtivo de indústria de cosméticos e oferece apoio para projetos de expansão 

17/12/2021 17h12

O Governo do Pará, por meio da Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Mineração e Energia (Sedeme), visitou, nesta quinta-feira (16), o município de Abaetetuba, na região nordeste do Estado, para conhecer a Cooperativa de Fruticultores de Abaetetuba (Cofruta) e a comunidade de São João Batista, de onde é extraída a matéria-prima para a produção de cosméticos pela empresa Natura, localizada na Região Metropolitana de Belém. 

No final de novembro, o Ecoparque Natura, em Benevides, foi o destino de uma das visitas do projeto 'Na Fábrica', iniciativa da Sedeme que promove a aproximação entre as indústrias paraenses e políticas públicas de incentivo ao desenvolvimento. O intuito da visita foi conhecer as instalações da empresa e entender as demandas do parque industrial, que produz atualmente mais de 415 milhões de sabonetes, conta com 327 colaboradores e mais de 370 prestadores de serviços. 

“Nós fomos conhecer toda a linha de produção da empresa desde o início, assim como as instalações, a cultura organizacional e o esforço da empresa em prol da sustentabilidade. Nessa primeira visita, o que nos chamou bastante atenção foi o maquinário moderno, a geração de empregos, o clima e o ambiente extremamente favoráveis, além de um sistema de tratamento de resíduos industriais que os transforma em adubo que, em seguida, é distribuído para a prefeitura de Benevides”, explica Anadelia Santos, secretária adjunta administrativa da Sedeme. 

Ainda de acordo com ela, a visita à comunidade, no dia 16, teve objetivo de conhecer o processo produtivo na origem, para dialogar com produtores para entender o processo e ouvir possíveis demandas. 

“A Natura é uma parceira do Pará, uma empresa incentivada que apresentou novos projetos de expansão justamente com objetivo de manter essa parceria, renová-la. Estrategicamente, nós, da Sedeme, temos um olhar especial para desenvolver economicamente a região do Marajó, o que vai ao encontro dos objetivos da empresa, que neste momento já está investindo na região, o que sem dúvida vai proporcionar melhorias de IDH, emprego e renda e qualidade de vida - tudo em parceria com o Estado, conclui Anadelia.   

Matéria-prima - Em São João Batista, os principais produtos extraídos são açaí, andiroba, cacau, cumaru e murumuru que se transformam em produtos para a indústria de cosméticos em Benevides. O processo de extração é todo realizado pela cooperativa local, que foi fruto de uma demanda antiga dos moradores locais, conforme explica o agricultor Raimundo Brito. “A Cofruta nasceu de uma necessidade da agricultura familiar. Há 25 anos a agricultura, por aqui, era praticamente de subsistência, ou seja, era produzir para se alimentar ou trocar por outra coisa. Hoje já é uma agricultura comercial, então tem um volume organizado e o trabalho é realizado por vários parceiros”, esclarece. 

Preservação - Segundo o gerente de suprimentos da Natura, Raoni Silva, o trabalho realizado pela empresa na região amazônica é pensado na para preservação ambiental e desenvolvimento econômico dos colaboradores. “Isso é uma forma de fomentar a sociobiodiversidade, garantindo tanto a geração de renda e a dinâmica da bioeconomia, que envolve tanto a conservação da floresta em pé, quanto o fortalecimento das populações tradicionais que nela habitam e a usam como fonte de recurso e de alimento.

A partir de agora, diálogos com a empresa serão mantidos para tratar de incentivos fiscais para projetos de expansão e de apoio a iniciativas de fomento à economia do Marajó. 

Por Igor Nascimento (SEDEME)