Governo do Pará vai definir novas estratégias para ampliar a vacinação contra a Covid-19

O governador Helder Barbalho anunciou uma ampla articulação para promover um mutirão de vacinação, além de aumentar as restrições de acesso a locais públicos e privados

01/12/2021 18h28 - Atualizada em 01/12/2021 20h03

Em suas redes sociais, o governador Helder Barbalho anunciou, nesta terça-feira (29), que o Estado já está articulando com as prefeituras, a sociedade civil e com os diversos segmentos da economia, para que seja feito um mutirão de incentivo à vacinação em todos os municípios, como forma de evitar que o sistema de saúde volte a ser pressionado em decorrência do aumento de casos da Covid-19.

“Nós já temos percebido algumas regiões, particularmente o Baixo Amazonas, a região do Xingu e a região de Carajás, que começa a haver uma pressão sobre o sistema de saúde. E, quando você vai verificar, aqueles que estão necessitando ir para o leito de hospital são exatamente aqueles que resolveram não se vacinar. Nós não podemos continuar vendo isso. Por essa razão, nós temos articulado com as prefeituras, articulado com a sociedade civil e articulado com segmentos da economia para que possamos fazer um grande mutirão, um grande esforço e, acima de tudo, possamos encontrar soluções para impulsionar a vacinação”, explicou o chefe do Executivo Estadual.O governo do Estado quer realizar um mutirão de vacinação para frear o aumento de casos da Covid-19

Novas estratégias de combate à doença foram definidas durante reunião do governador com o Comitê Técnico e Científico, realizada na tarde desta terça-feira (29), em Belém. Estiveram presentes representantes das secretarias de Estado de Saúde Pública (Sespa), de Segurança Pública e Defesa Social (Segup), de Planejamento e Administração (Seplad), de Comunicação (Secom) e da Fazenda (Sefa), da Casa Civil da Governadoria e Procuradoria-Geral do Estado (PGE). 

“O Comitê está traçando estratégias para garantir que a população se vacine, visando frear o aumento dos índices da Covid-19. Desde o início, o governo do Estado, por meio da Sespa, não mediu esforços para garantir o mais rápido possível os imunizantes para toda a população paraense. Agora temos vacinas sobrando devido à baixa procura. Precisamos fortalecer a vacinação para vencer a pandemia”, reforçou o titular da Sespa, Rômulo Rodovalho.

Novo decreto - Dentre as principais definições, o Comitê estuda a publicação de um novo decreto estadual, ampliando as restrições ao acesso de pessoas não vacinadas a estabelecimentos públicos e privados, a fim de evitar a proliferação do novo coronavírus.

“Foi definido que serão criadas restrições para quem não se vacinou e feitas liberações para atividades que ainda estão restritas. Estamos estudando a possibilidade de liberar para 100% a ocupação de alguns espaços. Mas em compensação, o Estado vai intensificar a fiscalização e tornar proibida a entrada neles de pessoas que não se vacinaram”, reiterou Ricardo Sefer, procurador-geral do Pará. 

Ainda durante o pronunciamento, Helder Barbalho reforçou a importância da vacinação, como a única alternativa existente para combater a pandemia.

“Nós não podemos correr riscos; não podemos deixar que as cenas de horrores, de perda de vidas, de pessoas sofrendo, voltem a estar no nosso dia a dia, no nosso cotidiano. O governo do Estado, inclusive, está, nos próximos dias, lançando um decreto estadual para prestigiar e favorecer aqueles que se vacinaram. Mas, ao mesmo tempo, também exigir que estabelecimentos, sejam públicos ou de setores privados, estejam obrigando que, para que frequentem locais públicos de circulação coletiva e locais privados, as pessoas apresentem a carteira de vacinação. Não é possível que, com todo o sofrimento já vivido, nós ainda tenhamos que ficar discutindo se vacinar faz bem ou deixa de fazer bem. Não tem outro caminho para que você se proteja, e para que você proteja aqueles que você ama”, afirmou o governador.

Por Barbara Brilhante (PGE)