Estado leva serviços de saúde e cidadania à população negra em Bragança e Salvaterra

Consultas, exames, palestras,documentação e outras ações chegaram a crianças, jovens, adultos e idosos em territórios quilombolas

30/11/2021 19h41 - Atualizada em 01/12/2021 01h19

Em alusão ao mês da Consciência Negra, celebrado em Novembro, a Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa) realizou diversas ações em saúde e cidadania na Região Metropolitana de Belém e nos municípios de Bragança, no nordeste paraense, e Salvaterra, no Arquipélago do Marajó. "A Sespa trouxe para dentro de sua complexa estrutura de serviços uma programação inteira voltada para a população negra, seja ela das periferias ou não, dos terreiros e dos quilombos. É importante destacar que as ações estiveram onde a população negra está, com todos os serviços de saúde que a Secretaria oferece, e, mais ainda, com uma equipe humanizada e que está atenta às diversidades étnicas do povo paraense. As ações ocorreram nos territórios de paz do TerPaz, nos terreiros e nos quilombos", informou Tatiany Peralta, coordenadora estadual de Saúde Indígena e Populações Tradicionais da Sespa.A programação valorizou a diversidade da população paraense

Nos dias 09 e 10 de novembro, a Sespa, por meio da Coordenação Estadual de Saúde Indígena e Populações Tradicionais, e a Polícia Civil, estiveram na Comunidade Quilombola do América, em Bragança, nordeste do Estado, realizando serviços de saúde e cidadania para os quilombolas. Foram oferecidos mais de 150 atendimentos, entre consultas médicas (clínico geral, pediatria e ginecologia); 60 testagens rápidas de HIV, Hepatite e Sífilis; 355 medicamentos dispensados; 61 kits de higiene bucal distribuídos para as crianças, além de mais de 200 kits contendo álcool e máscaras. Na regulação, foram realizadas 18 consultas especializadas, 22 diagnósticos por imagem e 19 patologias clínicas.

A programação promoveu também palestras de saúde do homem, em alusão à campanha nacional Novembro Azul; saúde da população negra, em alusão ao Novembro Negro, saúde do idoso e saúde bucal, que juntas atenderam aproximadamente 200 pessoas, entre crianças, jovens, adultos e idosos, tanto na sede da Associação Remanescente de Quilombo do América, como na Escola Municipal Quilombola. Foram emitidas ainda 92 carteiras de identidade pela Polícia Civil.Servidores do Estado que levaram os serviços às áreas quilombolas

Marajó - A Coordenação Estadual de Saúde Indígena e Populações Tradicionais, Coordenação Estadual de Saúde Bucal, Coordenação Estadual de Saúde do Homem e Coordenação Estadual de Saúde do Idoso representaram a Sespa em uma ação nos Territórios Quilombolas do município de Salvaterra, no Marajó, entre os dias 23 e 25 deste mês.

Foram realizadas diferentes ações em 15 comunidades, incluindo a Vila União, Deus Ajude e Pau Furado. A iniciativa contou ainda com emissão de carteira de identidade e certidão de nascimento, oferecidos pelo Programa Balcão de Direitos, da Defensoria Pública do Estado.

Os serviços de Saúde oferecidos pela Sespa totalizaram 205 atendimentos médicos, 75 encaminhamentos para exames especializados, 43 encaminhamentos para consultas especializadas, 368 testes rápidos de HIV, Sífilis e Hepatite, 90 atendimentos farmacêuticos e 1.860 medicamentos dispensados.

Foram distribuídos kits de higiene bucal para crianças quilombolas, além da entrega de kits contendo álcool e máscaras para todos os quilombolas atendidos nos três dias de ação. Houve, ainda, serviços de auriculoterapia, um tratamento alternativo aos quilombolas, por meio das práticas complementares do SUS (Serviço Único de Saúde). Foram realizadas palestras sobre saúde bucal, saúde do homem e palestras de combate ao racismo.

UsiPaz - Encerrando a programação do Novembro Negro, nesta terça-feira (30) foram realizadas na Usina da Paz, no bairro do Icuí, em Ananindeua, ações de enfrentamento ao racismo e valorização das referências negras.

A Coordenação Estadual de Saúde Indígena e Populações Tradicionais, em parceria com o Programa Territórios pela Paz (TerPaz), promoveu palestras, oficina de pintura para crianças, confecções de bonecas Abayomi e valorização da estética negra. A programação foi realizada no prédio da Assistência na UsiPaz, envolvendo crianças e adultos. Foram distribuídos ainda brindes educativos para as crianças.

Por Bruno Magno (CPH)