Emater estuda demandas de assentados de São Sebastião de Boa Vista

Órgão do Governo do Estado cadastrou mais de 70 famílias de dez comunidades de áreas federais para retomada de atendimento e prospecção de crédito rural.

29/11/2021 10h48 - Atualizada em 29/11/2021 11h30

No último sábado (27), assentados de São Sebastião da Boa Vista, no arquipélago do Marajó, puderam conversar diretamente com técnicos da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado do Pará (Emater) em uma força-tarefa multiinstitucional organizada pela Prefeitura para oferta de serviços na região do Rio Umarituba. 

A Emater cadastrou mais de 70 famílias de dez comunidades de áreas federais para retomada de atendimento e prospecção de crédito rural. 

Os agricultores receberam, ainda, sementes de alface, couve, cheiro-verde, pimentinha e tomate, como incentivo de segurança alimentar à horticultura, uma das atividades tradicionais do município. A principal atividade socioeconômica do entorno ribeirinho é o extrativismo de açaí. 

Márcio Silva, da Ilha Santo Antônio, no Rio Pará, por exemplo, quis saber sobre linhas do Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf) para assentados da reforma agrária.

“Aproveitei e vou levar sementes, porque minha esposa gosta muito de fazer hortas”, alegrou-se, já agendando uma visita presencial ao escritório da Emater, para continuidade. 

De acordo com a chefe do escritório local da Emater em São Sebastião, a técnica em agropecuária Bruna Paula dos Santos, “são propriedades nas quais o manejo e linhas de crédito como a Floresta do Pronaf podem melhorar consideravelmente o sistema de produção”, explica a gestora, que também é assistente social, com especialização em Gestão de Projetos Sociais. 

 

Parceria com o Incra

Emater e Incra estão sob tratativa avançada para reconstituir o suporte aos assentados do Marajó, preferencialmente ainda este ano. 

“O intuito é que tão logo assinemos um termo de cooperação técnica que corresponda às necessidades dos agricultores familiares e prime de verdade pelo desenvolvimento sustentável dessa região que é um dos pilares da economia e da cultura do Pará”, enfatiza o presidente da Emater, Rosival Possidônio.  

Texto: Aline Miranda/Ascom Emater

Por Luana Laboissiere (SECOM)