Hemopa recebe doadores com muito carinho neste Dia Nacional do Doador de Sangue 

25/11/2021 14h58 - Atualizada em 25/11/2021 15h09

Dalva e RonaldDalva e Ronald Barata, avó e neto, saíram de casa juntos para realizar um gesto de amor ao próximo: doar sangue no Hemopa. E apesar de Ronald não poder, ele deu todo o apoio para a dona Dalva, de 64 anos, que estava animada. “Estamos aqui com a vontade de ajudar as pessoas que tanto precisam. E sei que meu neto vai voltar em breve com a mãe dele para autorizar a doação, porque ele é menor de idade. Mas mesmo assim, vontade não falta”, disse a dona de casa.

Este era o sentimento de todos os voluntários que estavam no Hemopa nesta quinta-feira, dia 25 de novembro, Dia Nacional do Doador de Sangue. Para homenagear estes heróis da vida, o Coral do Hemopa, em Belém, fez uma apresentação especial na recepção dos doadores, que arrancou aplausos de quem assistiu.

Logo em seguida, o presidente da Fundação Hemopa, Paulo Bezerra, agradeceu. “Estamos aqui neste momento festivo para agradecer a cada um de vocês por este gesto de generosidade com o próximo. Sabemos que o sangue é algo que não se pode comprar e nem fabricar, portanto, a única fonte são vocês. A homenagem é simples, porém cheia de gratidão”, destacou Paulo que aproveitou para convidar a todos para os parabéns em frente ao bolo de metro que foi preparado para este momento.

Além de Paulo Bezerra, a diretora técnica, Luciana Maradei e, a diretora administrativa-financeira, Taissa Amador, também se fizeram presentes. O primeiro pedaço foi para o doador Daniel Rodrigues, de 59 anos, que ficou emocionado. “Eu fiquei feliz de ter sido o primeiro a receber o bolo. Tem tanta gente especial aqui hoje para doar e eu fui o privilegiado e bem recebido”, destacou.

Após as doações, os voluntários receberam um lanche incrementado, uma camisa comemorativa e ainda uma foto impressa na hora para ficar de recordação, uma ação promovida pelos bolsistas de residência do Hemopa.  “Essa é uma forma de homenagear e incentivar a doação. A gente pensou numa foto para que eles pudessem levar uma lembrança para casa e assim lembrar que todo o dia 25 de novembro é o dia nacional do doador voluntário de sangue”, disse Jean Pinheiro, residente de farmácia bioquímica do Hemopa.

Quem garantiu logo essa lembrança foi Marcos Alexandre, 43 anos. “Essa manhã foi muito prazerosa. Me sinto muito feliz em estar aqui em mais um dia fazendo este gesto maravilhoso que é a doação de sangue. Para mim é transmitir vida para outras pessoas que tanto necessitam deste sangue. E as lembranças vão ficar para sempre comigo”.

Marcos Alexandre doadorVárias formas de dizer gratidão

Como parte da programação em homenagem ao doador de sangue, pacientes, que recebem transfusão como tratamento de doenças hematológicas, fizeram cartinhas e desenhos para presentear esses heróis que doam.

O que parecia apenas um dia normal de doação para dona Dilce Oliveira, de 64 anos, se tornou um dia que ficará marcado para sempre. Ela recebeu um lindo desenho da Kettlen Carvalho, paciente do Hemopa. “Se todos nós doássemos um pouquinho de amor com esse gesto que estamos fazendo hoje, o mundo seria tão diferente, tão melhor do que é. Doar sangue é tão simples e tão valoroso para muitos pacientes. Eu agradeço a Deus pela oportunidade que eu tive de ter conhecido essa criança”, disse a doadora que se dedica à causa há mais de 20 anos.

Outro doador privilegiado foi Marcus Palha, agende de segurança, que recebeu das mãos de  Isac Calandrini, paciente de Doença Falciforme do Hemopa, um desenho que traduz todo o sentimento. “Eu vim doar hoje porque o meu irmão vai fazer uma cirurgia de peito aberto. É de risco e a gente sempre fica com um pouco de medo. Mas depois desse presente é como se renovasse a esperança e o pensamento positivo. Fiquei emocionado demais”, disse o autônomo, com os olhos cheios de lágrimas.  

A programação especial em comemoração ao doador de sangue da Fundação Hemopa vai até o dia 27 de novembro, sábado, quando terá a coleta de sangue na Praça Batista Campos, com a unidade móvel. Mas é importante lembrar que a doação de sangue é um ato de solidariedade que se pode praticar o ano todo.

Por Anna Cristina Campos (HEMOPA)