Sespa alerta para a importância do uso racional de antimicrobianos

Uma das consequência do uso indiscriminado é tornar micro-organismos causadores de doenças resistentes a antibióticos e antifúngicos

24/11/2021 23h13 - Atualizada em 24/11/2021 23h27

Em alusão à Semana Mundial de Conscientização Sobre o Uso de Antimicrobianos, que ocorre anualmente de 18 a 24 de novembro, a Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa), por meio da Coordenação Estadual de Controle de Infecção Hospitalar (CECIH), do Departamento de Vigilância Sanitária (Visa Estadual), alerta profissionais de saúde e a população em geral para a importância do cuidado com o uso desses medicamentos.

Segundo a enfermeira e técnica da Coordenação de Controle de Infecção Hospitalar, Elaine Miranda, o maior risco do uso inadequado de antimicrobianos é tornar os micro-organismos causadores de doenças resistentes aos antibióticos e antifúngicos disponíveis no mercado. “Temos consciência sobre o uso de antimicrobianos quando passamos a utilizar de forma responsável esses medicamentos”, afirmou.

Elaine Miranda orienta a população a utilizar antimicrobianos apenas com prescrição médica, e não abandonar o tratamento pelo tempo prescrito. “Também é importante ter cuidado no armazenamento desses medicamentos, evitando locais quentes e úmidos”, observou.

Aos profissionais de saúde, ela frisou a importância da prescrição médica adequada, da capacitação com especialistas da área, realização de interconsultas com infectologistas e discussões diárias à beira leito com equipes multidisciplinares. Segundo a enfermeira, são condutas fundamentais na rotina de trabalho.A Sespa realiza várias ações para combater o uso inadequado de medicamentos, que se agravou durante a pandemia de Covid-19

Ações da Sespa - De acordo com Elaine Miranda, todas as esferas do poder público devem se mobilizar para controlar essa ameaça à saúde pública mundial. A Sespa já vem trabalhando nesse sentido. Por meio da CECIH, a Secretaria realiza várias atividades voltadas a essa temática, uma vez que com a pandemia de Covid-19 houve um agravamento desse problema.

Entre as ações realizadas, Elaine Miranda citou o webinário sobre o tema “A luta contra a resistência microbiana está em suas mãos: todos pela prevenção”; divulgação e incentivo à participação de profissionais de saúde nos eventos da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), e elaboração e distribuição de material educativo digital.

Elaine Miranda destacou, em especial, a publicação da Portaria nº 929/21, que estabelece os requisitos de boas práticas para o funcionamento e os critérios para emissão de Licença Sanitária dos Estabelecimentos de Assistência Hospitalar com leitos de UTI adulto, pediátrico e neonatal do Estado do Pará. “Agora, um dos requisitos para a obtenção da licença sanitária é a implantação da Política Racional de Antimicrobianos e a presença de um médico, preferencialmente infectologista, para a liberação desses antimicrobianos pela Comissão de Controle de Infecção (CCIH) no hospital”, explicou a técnica. 

Ela informou ainda que a CECIH analisa as notificações de germes multirresistentes e o consumo de antimicrobianos em hospitais com leitos de UTI adulto no Pará e investiga ou apoia as investigações de causas de possíveis surtos no Estado, com visitas técnicas realizadas por equipe especializada, composta por enfermeiros, farmacêuticos e microbiologistas da Visa Estadual, Laboratório Central do Estado (Lacen-PA) e Centro de Informações Estratégicas em Vigilância em Saúde (CIEVS) nos Estabelecimentos de Assistência à Saúde, em parceria com os Centros Regionais de Saúde (CRS) e vigilâncias Sanitárias Municipais para prevenção de futuros casos e controle dos surtos.

Por Roberta Vilanova (SESPA)