Paraenses conquistam 40 medalhas no primeiro dia das Paralimpíadas Escolares

Com a segunda maior delegação da competição, o Pará já garantiu 18 medalhas de ouro, 15 de prata e sete de bronze

24/11/2021 18h00 - Atualizada em 24/11/2021 20h10

No principal lugar do pódio, medalha, bandeira do Pará e muita emoção da delegaçãoParatletas estudantis do Pará começam a fazer história já no primeiro dia da maior competição mundial para jovens com deficiência em idade escolar, as Paralimpíadas Escolares 2021, que ocorrem na cidade de São Paulo (SP). Medalhas de ouro foram garantidas no atletismo, judô, arremesso de peso e natação. Algumas categorias acumularam dobradinha de paraenses no pódio com ouro, prata e bronze, enquanto outros paratletas conseguiram mais de uma medalha em categorias distintas.

Esse foi o caso de Maria Lisa, moradora de Belém. "Eu espero levar ainda mais medalhas. Confesso que estou nervosa, mas confiante. A minha preparação foi boa, apesar das dificuldades impostas pela pandemia. Eu dedico essas medalhas a Deus, a minha professora - que confiou no meu potencial -, aos meus amigos e também aos atletas guias", disse a aluna da Escola Estadual Jarbas Passarinho. A natação está entre as modalidades que já deram medalhas aos representantes do Pará

O atletismo foi a categoria que mais rendeu medalhas para a segunda maior delegação da competição. Até as 17h30 desta quarta-feira (24) haviam sido conquistadas 40 medalhas, sendo 18 de ouro, 15 de prata e sete de bronze. As competições de natação e bocha continuam. 

Alane Gomes, 16 anos, estudante do município de Abaetetuba (na região do Baixo Tocantins), competiu nesta manhã e ganhou ouro no atletismo e arremesso de peso. Ela contou que, apesar da ansiedade, teve êxito nas disputas. "Eu tive um bom desempenho. Agradeço muito aos meus professores e aos meus apoiadores. Esses foram só os primeiros ouros. Amanhã tem mais", prometeu a estudante do 1º ano do ensino médio.Paratletas paraenses exibem as medalhas conquistadas logo no início das Paralimpiadas Escolares

Desempenho - O chefe da delegação paraense na competição, Marcley Lima, que coordena o Núcleo de Esporte e Lazer (NEL), da Secretaria de Estado de Educação (Seduc), afirmou estar satisfeito com o desempenho dos atletas. "Começamos a competição com muita festa. Foram muitas medalhas. Tivemos até trabalho para contabilizar. Agradecemos muito o apoio de todos, sobretudo do Governo do Pará, que não mediu esforços para que isso acontecesse, por meio da Seduc. Estou muito orgulhoso dos nossos atletas", enfatizou.

Nesta quinta-feira (25) haverá disputado de bocha, judô, basquete, natação, atletismo, tênis de mesa e futebol. A delegação paraense tem 133 componentes, sendo 85 paratletas, dos quais 71 são alunos da rede estadual. Na edição deste ano, 13 modalidades esportivas fazem parte das Paralimpíadas Escolares. Atletas da faixa etária de 11 a 17 anos disputam atletismo, bocha, judô, natação, tênis de mesa e tênis em cadeira de rodas; de 12 a 17 anos (taekwondo); de 13 a 17 anos (futebol PC, goalball, basquete em cadeira de rodas 3x3 e parabadminton), e de 13 a 18 anos (futebol de 5 e voleibol sentado). 

Paralimpíadas - A competição teve sua primeira edição em 2009. Desde então, se consolidou como o maior evento mundial para crianças com deficiência em idade escolar. Diversos talentos do paradesporto já passaram pelo torneio, como o velocista paraense Alan Fonteles, que conquistou a medalha de ouro nas Paralimpíadas de Londres, em 2012.

Podem participar das Paralimpíadas Escolares 2021 equipes masculina e feminina, com deficiência física, visual e intelectual, e idade mínima de 11 anos (nascidos em 2010) e máxima de 18 anos (nascidos em 2003), conforme as modalidades previstas para o torneio, e desde que estejam regularmente matriculados e frequentando escolas de ensino fundamental, médio ou especial, pertencentes à rede pública ou particular de ensino.

Por Evaldo Júnior (SEDUC)