Amamentação ajuda a prevenir câncer de mama, apoiam especialistas da Fundação Santa Casa

Hospital fecha Outubro Rosa com evento de conscientização em shopping de Belém, das 10h às 18h, deste sábado (23)

22/10/2021 15h01 - Atualizada em 22/10/2021 15h58

A enfermeira Tassyane Silva fez uma cesariana em 30 de setembro, e tem amamentado o filho, Heitor. Ela tem todo o apoio do marido.De acordo com a mastologista Cynthia Lins, médica do Ambulatório da Mulher da Santa Casa e presidente da Seção Pará da Sociedade Brasileira de Mastologia (SBM), o benefício já começa na própria gravidez: “Na gestação, há o completo desenvolvimento do parênquima, conjunto específico de células de uma glândula ou de um órgão mamário, preparando esse tecido para a amamentação, com renovação das células mamárias”. 

Ela também destaca a exposição hormonal: “No período de amamentação, as mulheres ficam menos expostas aos hormônios femininos relacionados ao risco de câncer de mama”, completa. Outro mecanismo ocorre quando o leite é ejetado pelos ductos mamários: essa ação pode eliminar células mamárias que teriam sofrido alguma alteração na estrutura, fenômeno que poderia levar ao aparecimento futuro do câncer de mama.

“Existe, então, um processo natural de substituição das células mamárias na amamentação, podendo eliminar células modificadas ou com mutação de risco para o câncer de mama”, explica a mastologista Cynthia Lins. E, desmistificando, ela afirma que mesmo quem já passou por uma primeira experiência de câncer de mama pode amamentar: “Nos casos de mastectomia, que consiste na retirada da mama, a amamentação pode ser realizada pela mama que não foi operada; no caso de retirada parcial, quadrantectomia, desde que não tenha ocorrido retirada dos ductos mamários, a amamentação pode ser feita inclusive pela mama que já teve câncer”, explica a médica do Ambulatório da Mulher da Santa Casa e presidente da Seção Pará da Sociedade Brasileira de Mastologia (SBM).Mastologista da Santa Casa e presidente da SBM, Cynthia Lins 

Segundo estudos universais, a amamentação está relacionada, ainda, à prevenção de outros cânceres na mulher que amamenta: “Como essa mulher passa por um período mais prolongado de anovulação [cessação da ovulação], existe mais proteção quanto a câncer de ovário, além de diminuição de ação de estrogênio no endométrio, levando a uma redução no risco de câncer endometrial”, enumera Cynthia Lins, embasando, com ternura: “A amamentação é sobretudo um ato de amor”, conclui.  

Santa Casa

Com um quadro de mastologistas, o Ambulatório da Mulher acompanha patologias e realiza biópsias. Por mês, são cerca de 70 consultas de mastologia e um número de diagnósticos de câncer de mama que anualmente sempre se aproxima de 20, mesmo em um cenário de pandemia. 

O Hospital encaminha essas pacientes para tratamento em centros de referência, via sistema de regulação da Secretaria de Saúde Pública (Sespa). 

A dona-de-casa, Oneide do Socorro Rodrigues, 54, de Abaetetuba, no nordeste do Pará, por exemplo, foi salva por tal dinâmica: encaminhada com um histórico de múltiplos cistos nas duas mamas e resultados negativos para exames, ela só descobriu câncer no seio direito depois de uma cirurgia na Santa Casa, em fevereiro deste ano. 

"Foi um alívio e ao mesmo tempo um susto, porque eu sabia que havia alguma coisa errada. O bico do meu seio estava deformando, saía uma secreção; tudo o que os profissionais repassam como sinal de alerta, o que a gente lê nos cartazes do consultório, aquilo acontecia", relembra.

A paciente hoje está terminando tratamento de quimioterapia e radioterapia no Hospital Ophir Loyola (HOL), com excelente prognóstico. 

Enfermeira do Ambulatório, Nazaré Falcão aponta que o Outubro Rosa é um movimento para sensibilizar a população: “Quanto mais precocemente a gente diagnosticar, mais nós temos condições ou de cura ou uma sobrevida melhor para cada mulher. É isto o que a gente busca: o diagnóstico precoce”, enfatiza. 

Exemplo

Com um pré-natal na Santa Casa para acompanhar picos hipertensivos, a enfermeira obstetra Tassyane Silva, 28, do município de Vigia de Nazaré, na Região do Salgado, e uma cesariana tranquila no último 30 de setembro, tem amamentado sem dificuldades o filho Heitor. 

“Ser da área é um portal de conhecimento”, sorri. “Eu já sabia que este alimento era do coração: faz bem pro meu filho e pra mim”, diz.  

Marido de Tassyane e pai de Heitor, Marlisson Pareira, microempreendedor, 26, encoraja: “A família tem que estar perto pra que seja seguro e confortável pra mãe e pro bebê. É lindo, é uma conexão. Eu fico emocionado”, conta.   

Evento

Em Belém, para encerrar um mês inteiro de campanha de conscientização sobre o câncer de mama, a Santa Casa, em parceria com o Shopping Grão-Pará, promoverá um evento especial neste sábado (23), das 10h às 18h, com acesso livre.  Será no 1º Piso do Shopping em frente à Praça da Alimentação. O endereço é  Av. Centenário, nº 1052, bairro Mangueirão. 

A partir do tema “Câncer de mama: Vamos Vencer essa Luta”, haverá estandes com programação educativa e lúdica, na abordagem de temas de nutrição, medicina, psicologia, enfermagem, entre outros. 

Serviço: “Câncer de Mama: Vamos Vencer essa Luta?” - 1° Piso do Shopping Grão-Pará

Acesso Livre e Gratuito

Avenida Centenário, nº 1052, Bairro: Mangueirão.

Mais informações: (91) 4009.2258.

*Texto de Aline Miranda (FSCMP).

Por Governo do Pará (SECOM)