Ações de incentivo à leitura integram políticas públicas do Governo do Pará

Vários órgãos da administração estadual desenvolvem projetos que estimulam o hábito da leitura como ferramenta de promoção da cidadania

18/10/2021 19h07 - Atualizada em 18/10/2021 19h42

O apoio do Governo do Pará ao incentivo à leitura demostra a preocupação com o direito ao conhecimento, e tem crescido cada vez mais por meio de vários órgãos da administração direta e indireta, como Imprensa Oficial do Estado (Ioepa) e Secretaria de Estado de Cultura (Secult). Há dois anos, durante a Feira Pan-Amazônica do Livro e das Multivozes, em 2019, o governador Helder Barbalho assinou decreto criando a política de publicações e edição de livros para incrementar e ampliar a valorização da leitura. (http://www.ioepa.com.br/portal/premio/edital.pdf). A 24ª Feira Pan-Amazônica do Livro e das Multivozes está marcada o período de 1º a 5 de dezembro de 2021, na Arena Guilherme Paraense – Mangueirinho.Crianças, adolescentes e adultos: leitura é essencial para todos os públicos

Pelo edital Livro e Leitura, promovido pela Secult com recursos da Lei Federal n.º 14.017, a Lei Aldir Blanc, de 29 de junho de 2020, foram selecionadas 91 obras. Desse total, foram contemplados 79 escritores, que terão seus livros publicados, e 12 bibliotecas comunitárias para aquisição de acervo, ações de mediação de leitura e adaptações físicas dos espaços.

Direitos - A advogada Clara Morbach é coordenadora do Projeto “Mayrabá - Memórias Juventude de Direitos”, desenvolvido em Marabá, na região Sudeste. Com o incentivo recebido via Secult, ela trabalhou durante três anos com a Comissão Pastoral da Terra (CPT) para atrair os jovens à leitura.

“Após a experiência, nasceu em mim o interesse de oferecer algum conteúdo sobre os direitos humanos voltados à juventude de Marabá e, também, e oferecer aos educadores um material pedagógico sobre o tema", informa Clara Morbach. Para a elaboração desse material, ela realizou extensa pesquisa e entrevistas, buscando saber quais os principais enfrentamentos na região.A coordenadora do Portal do Conhecimento da Ioepa, Sandra Batista (d), durante doação de livros à Biblioteca de Portel, no Marajó

"Constatamos que são conteúdos pesados, envolvendo conflitos de terras. Pensamos em como transformar isso para os jovens. Nos baseamos nas diretrizes nacionais de educação voltadas para os direitos humanos. Nossa proposta de criação era voltada a estudantes do ensino médio, que vão realizar o Enem (Exame Nacional do Ensino Médio). É uma temática cada vez mais difícil de tratar. Os jovens estão chegando com um olhar negativo sobre esta temática, sem perceber o tanto que os direitos humanos fazem parte de nossas vidas", ressalta a advogada.

Doação de livros pela Ioepa em São Miguel do GuamáClara Morbach destaca ainda a importância de trazer para a publicação uma perspectiva e o fortalecimento da identidade de Marabá, um olhar para sua memória, como se deu a ocupação territorial. Na publicação, tudo é narrado por dois jovens e ocorre no município. "Queremos fazer os leitores passearem nestes locais e verem situações que eles mesmos vivenciam", explica.

Doação de livros - A coordenadora do Portal do Conhecimento da Ioepa, Sandra Batista, reafirma o papel do órgão na disseminação da importância da leitura. Ela explica que o projeto doa livros para incentivar o hábito da leitura em comunidades com maior vulnerabilidade social.

As ações atingem bibliotecas comunitárias, escolas públicas, organizações não governamentais, espaços de leitura das organizações religiosas, e até mesmo instituições municipais ou estaduais que realizam projetos de cunho social, beneficiando a sociedade e promovendo a inclusão social e o respeito pelo cidadão, tendo a leitura como um direito ao conhecimento e à cidadania.Ações de incentivo à leitura também às escolas

"Para isso, o Portal do Conhecimento promove a campanha de arrecadação de livros junto à sociedade, pessoas físicas e jurídicas, que são encaminhados a locais de baixo índice de leitura e pouca oferta de equipamentos culturais, estimulando o hábito como forma de fomentar o crescimento intelectual e social", detalha a gestora.

Quem quiser doar livros ou obter mais informações sobre o projeto deve ligar ou acessar a página do Portal do Conhecimento no Facebook 
(https://www.facebook.com/Portal-do-Conhecimento-IOEPA-104382188460994/)

Por Carol Menezes (SECOM)