Parceria entre IDEFLOR Bio e MST rende frutos aos assentamentos de Acará, Mosqueiro, Santa Bárbara e Castanhal

04/09/2021 21h41 - Atualizada em 08/09/2021 09h34

Com o intuito de diversificar a produção, reutilizar antigas áreas de plantio de mandioca, fomentar renda e favorecer a segurança alimentar, o Instituto do Desenvolvimento florestal e da Biodiversidade (IDEFLOR-Bio), através da Diretoria de Desenvolvimento da Cadeia Florestal (DDF), no período do mês de agosto, construiu em parceria com o Movimento dos Trabalhadores Sem-Terra (MST) para desenvolver um projeto de introdução de matrizeiros de pitaia vermelha (Hylocereus polyrhizus) em assentamentos ligados ao movimento.

A decisão para a construção dos matrizeiros, que irão ter a função de produtores e proliferadores de mudas e frutos, ocorreu através de discussões realizadas entre os técnicos do IDEFLOR-Bio e lideranças dos assentamentos. Segundo o biólogo e técnico responsável, Antônio Campos, para que o projeto fosse implantado, vários fatores foram levados em consideração, entre eles, a dificuldade para obtenção das mudas.

O IDEFLOR Bio ficou responsável pela aquisição, transporte das mudas e orientação técnica. Já aos assentados, coube a aquisição das estacas (tutores) que servem de suporte para o plantio das mudas de pitaia, assim como a limpeza, preparo da área, plantio e tratos culturais (manutenção).

O primeiro assentamento beneficiado foi o PA Olga Benário, localizado no município de Acará. Lá foram construídos dois matrizeiros: um experimental (onde foram plantadas trinta mudas de pitaia vermelha), sendo utilizado a gliricídia (Gliricidia sepium) como tutor vivo. 

Foi construído outro matrizeiro com 50 mudas da mesma variedade em estacas de madeira disponível na propriedade (tutor morto) ao lado do primeiro. Para esse plantio foram utilizadas estacas de cerca de 2m com espaçamento de 3 metros por 3 metros. Um mês após a construção dos primeiros matrizeiros, outros três assentamentos foram beneficiados na PA João Batista localizado em Castanhal, PA Abril Vermelho, localizado em Santa Bárbara e PA Paulo Fonteles, localizado no distrito de Mosqueiro. 

É válido ressaltar que nestes assentamentos foram utilizados apenas o tutor morto, mantendo-se o mesmo espaçamento 3m x 3m. O próximo beneficiário da ação será o PA Mártires de Abril localizado também no distrito do Mosqueiro.

De acordo com a Presidente do IDEFLOR-Bio, Karla Bengtson, com isso, o IDEFLOR-Bio cumpre uma de suas atribuições que é o fomento das atividades florestais não madeireiras em assentamentos, contribuindo, assim, com a melhoria da consciência ambiental, proporcionando de renda e colaborando para a segurança alimentar.

Por Patricia Madrini (IDEFLOR-BIO)