Campanha da Fundação Hemopa na Marinha do Brasil vai beneficiar mais de 400 pacientes 

03/09/2021 12h42 - Atualizada em 03/09/2021 14h22

Unidade Médica Integrada, do Hospital Naval, da Marinha do Brasil, em Belém, em campanha de doação de sangue com o HemopaEsta semana, a Marinha do Brasil abriu as portas da Unidade Médica Integrada, do Hospital Naval, que fica na Rodovia Arthur Bernardes, para receber a campanha de doação de sangue da Fundação Hemopa. Sempre parceira, a entidade sediou a ação em dois dias esta semana, terça e quarta. 

Entre doadores voluntários militares e civis, compareceram 134 candidatos. Desses, 107 estavam aptos e puderam doar uma bolsa de sangue, que vai beneficiar mais de 420 pacientes. A necessidade de manter o estoque abastecido é constante. Uma bolsa de sangue pode beneficiar até quatro pacientes, diante da separação dos hemocomponentes do sangue. 

“É fundamental que todos tenham consciência da importância de manter o estoque de bolsas de sangue elevado para ajudar aqueles que precisam em momentos difíceis, como intervenções cirúrgicas e pacientes com doenças crônicas graves que necessitam de reposição ou transfusão. É um simples gesto de solidariedade que significa muito para todos”, destacou o vice Almirante Valter Citavicius Filho.

Doadores voluntários militares e civis compareceram em grande número para doar de sangue, contribuindo para abastecer o Hemopa"As Forças Armadas são importantes parceiras do Hemopa e grande incentivadoras da doação voluntária de sangue. Hoje, além da adesão dos militares, também pudemos contar com a solidariedade de doadores civis que fortaleceu o trabalho e garantiu um número significativo de bolsas coletadas”, reforçou a assistente social do Hemopa, Vanessa Pimentel. 

A Fundação Hemopa está empenhada em trabalhar a descentralização das atividades de coleta de sangue no Pará. Além das 11 unidades fixas nos municípios de Belém (que possui três pontos de coleta), Castanhal, Marabá, Santarém, Altamira, Abaetetuba, Capanema, Redenção e Tucuruí, as parcerias com instituições públicas e privadas possibilitam a ampliação dos serviços e também o maior alcance de voluntários à causa.

Por Anna Cristina Campos (HEMOPA)