Seaster realiza capacitação de entrevistadores sociais e garante melhor atendimento à população

Mais de 200 trabalhadores da assistência social já receberam a formação ao longo de 2021

02/09/2021 09h35 - Atualizada em 02/09/2021 10h40

Receber, ouvir, agendar e digitar os dados coletados. Essas são algumas das atribuições do entrevistador social, profissional responsável por receber e entrevistar famílias que buscam atendimento nos Centros de Referência de Assistência Social ou em postos do Cadastro Único (CadÚnico). O Cadastro Único para Programas Sociais é um instrumento de coleta de dados e informações que busca identificar e conhecer a realidade das famílias de baixa renda. Ele aponta onde estão e quais são as necessidades das famílias em situação de vulnerabilidade e ao fazer essa identificação, possibilita que os governos federal, estadual e municipal orientem as famílias de forma integrada, potencializando a atuação no combate à pobreza e na redução das desigualdades. 

Por meio da Secretaria de Estado de Assistência, Social, Trabalho, Emprego e Renda (Seaster), o Estado recebe orientações do Ministério da Cidadania e atua como multiplicador, assessorando e capacitando os municípios. Ao longo deste ano, uma série de capacitações voltadas aos entrevistadores foram realizadas e pouco mais de 200 trabalhadores da assistência social já receberam a formação.

Raimundo do Nascimento Ferreira participou recentemente de uma capacitação. Ele atua como entrevistador em Brasil Novo, no sudeste paraense. "Eu achei a capacitação importante, as técnicas estavam seguras e repassaram bem as orientações. A população de Brasil Novo só tem a ganhar, assim como nós também que atuamos nessa execução. Ganha a população em geral, que são aquelas pessoas que mais necessitam dos serviços, e também o município que pode disponibilizar o serviço com mais qualidade", comentou.

 

Estrutura 

A Seaster é o órgão que planeja e executa capacitações de formação para técnicos e servidores dos municípios. Em meio à pandemia, a Secretaria manteve o assessoramento on-line e agora, durante a retomada das atividades presenciais, as equipes têm ido às mais diversas regiões, entre elas Guajará, Marajó, Carajás, Rio Capim, Xingu e Tocantins. 

"O papel da Seaster na capacitação é instruir e despertar a habilidade no trato com o usuário de forma empática, habilidosa, humanizada, fazendo com que o entrevistador possa extrair as informações que vão compor o cadastro e assim garantir que a população tenha os seus direitos atendidos”, explica o titular da Seaster, Inocencio Gasparim.

Além da capacitação voltada aos entrevistadores, a Seaster também presta o assessoramento técnico durante a ida aos municípios, auxilia a gestão e orienta o acesso aos principais programas sociais. 

“Há um destaque na execução do programa nos municípios, principalmente na região do Tapajós, Baixo Amazonas, que antes eram regiões polarizadas e que não recebiam capacitação in loco. Agora, por exemplo, estivemos em Terra Santa e isso é uma inovação, já que antes os técnicos eram demandados aos polos e nem sempre conseguiam participar; esses municípios que antes tinham a participação de 2 ou 3 técnicos, hoje conseguem ter de 20 a 25 participantes, o que potencializou as ações da Seaster e fortaleceu o trabalho dos entrevistadores de todo o Estado", comentou a representante da Assistência Social da Seaster, Adriana Barros.

Por Camila Santos (SEASTER)