Estado leva capacitação em governança para municípios paraenses

10/08/2021 10h17

Com dimensões continentais, o Pará é um estado com necessidades específicas para cada área de atuação do Governo, e com a governança pública não seria diferente. Pensando nisso, a Escola de Governança Pública do Estado do Pará (EGPA), com a missão de propor e executar políticas de formação, desenvolvimento e produção de conhecimento, iniciou uma capacitação voltada para gestores e servidores municipais e estaduais que busca colaborar com a integração da gestão entre estado e municípios para ações ainda mais assertivas da governança. 

Chamado de “Fórum de Governança Pública por todo o Pará” o projeto já capacitou 244 servidores dos municípios de Acará, Ananindeua, Belém, Benevides, Bujaru, Castanhal, Colares, Inhangapi, Marituba, Santa Bárbara do Pará, Santa Isabel do Pará, Santo Antônio do Tauá, São Francisco do Pará, Terra Alta e Vigia na primeira etapa da formação, realizada no mês de junho e sediada em Ananindeua. A ação foi a primeira de 15 outras atividades de formação presenciais que serão ministradas em todo o estado, levando formações sobre temas como assistência social, educação, saúde, administração e planejamento, Plataforma Mais Brasil e educação fiscal. 

Os próximos municípios a receberem o trabalho serão Goianésia do Pará, Breu Branco, Itupiranga, Jacundá, Nova Ipixuna do Pará, Novo Repartimento, Tucuruí e Brejo Grande do Araguaia. Com sede em Goianésia do Pará, a capacitação já começará na próxima quarta-feira (11). 
Integração entre municípios e Estado.

A secretária de Educação de Benevides, Maria Oliveira, participou da primeira turma da capacitação no seu eixo de trabalho, que abordou temas como a elaboração do planejamento da educação nos municípios para os próximos quatro anos e o uso das ferramentas necessárias para acesso aos recursos dos programas de assistência técnica e financeira do Governo Federal para área. Para ela, os conteúdos abordados são importantes para todos os gestores. 

“Esse tipo de formação nos prepara para atuar com mais eficiência e qualidade e melhorar o serviço na nossa área”, afirma a secretária municipal. “Quero levar essa capacitação para a minha equipe, pois o fortalecimento interno após essa integração com o Estado é o que irá fazer a diferença para o desenvolvimento do nosso trabalho”, afirmou Maria Oliveira. 

O trabalho colaborativo entre Estado e municípios é um dos principais pilares para o desenvolvimento do projeto, que busca fortalecer o chamado ‘tripé de proteção’, ou seja, as áreas de educação, saúde e assistência social. “A construção da proposta e a decisão sobre os eixos de formação partiu dessa necessidade de integração das políticas públicas, uma vez que os municípios executam atividades que dependem das esferas federal e estadual, além de enxergarmos as principais demandas da população e dos próprios servidores”, explica Evanilza Marinho, diretora geral da Escola de Governança. 

A diretora da EGPA destaca que o desenvolvimento do projeto por meio da gestão do conhecimento irá contribuir com os novos dirigentes municipais na qualificação de seus gestores e equipes técnicas, criando condições favoráveis à execução de serviços de forma eficiente e produtiva. “Todas as formações estão encadeadas para que as ações públicas sejam realizadas de maneira mais eficaz, com recursos para desenvolvimento do Estado e alimentação de plataformas de informação obrigatórias da maneira correta”, observa Evanilza. 

Formação continuada
O Fórum de Governança Pública também prevê novas etapas para os municípios, que já participaram das capacitações presenciais, com trilhas de formação na modalidade de Ensino a Distância, que aprofundam mais os temas debatidos em sala de aula. 

“Como funcionários públicos nós nos sentimos prestigiados por contar com esta oportunidade, que nos acompanhará durante o desenvolvimento do nosso trabalho. A administração pública precisa que seus funcionários estejam qualificados”, afirma Walber Willian, servidor da Prefeitura Municipal de Belém, que participou da capacitação no eixo de Administração e Planejamento.  

O projeto da EGPA conta com a parceria das secretarias estaduais de Saúde (Sespa); de Educação (Seduc); de Assistência Social, Trabalho, Emprego e Renda (Seaster); e, ainda, da Escola Fazendária; Tribunal de Contas dos Municípios do Pará (TCM-PA); Federação das Associações de Municípios do Pará (Famep) e de todas as associações de municípios do Pará.

Por Isabela Quirino (EGPA)