Sedap investe em agroindústrias para o beneficiamento do abacaxi

Os empreendimentos estão instalados em Floresta do Araguaia e Salvaterra e são administrados por cooperativas locais.

01/07/2021 11h54 - Atualizada em 01/07/2021 19h06

O abacaxi está entre as frutas mais produzidas e consumidas no estado, sem contar que é uma fonte de renda para centenas de agricultores paraenses. O município de Floresta do Araguaia, localizado na Região de Integração do Araguaia, responde por 74% do fruto plantado em solo paraense. No ranking nacional, o Pará aparece em primeiro lugar, com quase 20% do cultivo nacional.

Para manter essa produtividade em ascensão e proporcionar maior rentabilidade ao produtor da fruta, o governo estadual, através da Secretaria de Desenvolvimento Agropecuário e da Pesca (Sedap), vem investindo em ações do beneficiamento da produção do abacaxi.

Duas agroindústrias estão sendo atendidas pela secretaria, com o repasse do maquinário necessário para o processamento da fruta. No dia 21 deste mês, o governador Helder Barbalho e o titular da Sedap, Alfredo Verdelho, assinaram um convênio com a Prefeitura de Floresta do Araguaia, com um aporte de R$ 250 mil, com a finalidade da aquisição de equipamentos, para a Cooperativa dos Agricultores de São Francisco (Cooasafra), onde funciona uma agroindústria que atende centenas de agricultores do município. Entre os equipamentos, estão despolpadeiras, máquinas trituradoras e mesas de inox, que irão proporcionar uma nova linha de operação.

“Com isso, vamos trabalhar o beneficiamento da produção do abacaxi plantado, valorizando o trabalho do produtor e beneficiando a região”, destacou o governador.

O governo estadual atendeu uma reivindicação do segmento. A Coasafra já contava com o prédio e parte dos equipamentos, mas ainda insuficientes para o incremento da produção.

Além do abacaxi, como informou o gerente de fruticultura da Sedap, o engenheiro agrônomo, Geraldo Tavares, os equipamentos possibilitarão o processamento de outras frutas, como o maracujá.

No município de Salvaterra, na região do Marajó, está sendo instalada outra agroindústria para o processamento de frutas, sobretudo do abacaxi, que é o carro-chefe da produção local. Instalado no distrito de Condeixas, a previsão é que o empreendimento seja inaugurado até agosto. “Estão sendo feitos os últimos ajustes na parte elétrica para poder entrar em funcionamento”, explicou Tavares. O espaço será administrado pela Cooperativa de Agricultores Familiares de Salvaterra (Cafas).

O engenheiro agrônomo informou que 90% do abacaxi, que abastece a capital paraense, é de Salvaterra. “Como o município é mais próximo de Belém, o produto chega com uma qualidade melhor; é um abacaxi mais doce, pois o fruto colhido, próximo da maturação, processa todo o açúcar”, comparou o especialista.

Benefícios - O abacaxi tem uma cadeia bem singular, segundo Geraldo Tavares. “Ele é vendido por unidade, mas, muitas das vezes, fica nas mãos do atravessador. Agora, quando o produtor consegue processar parte do abacaxi e agregar valor, tem uma segunda opção, ou seja, ele não precisa vender só in natura. Como o produtor é associado, é o dono daquele processamento, ele pode transformar o fruto em suco ou polpa”, avaliou o técnico.

Segundo levantamento da Sedap, Floresta do Araguaia, Conceição do Araguaia e  Salvaterra, produzem cerca de 90% do fruto cultivado em solo paraense.

Texto: Rose Barbosa (Ascom/Sedap)

Por Governo do Pará (SECOM)