'Forma Pará' se reúne com representantes do IFPA sobre a chamada 2021 do Programa

Ação do governo estadual objetiva superar os baixos índices de acesso à educação superior no Norte do Brasil.

10/06/2021 15h26 - Atualizada em 10/06/2021 15h59

Na manhã desta quinta-feira (10), a adjunta da Secretaria de Ciência, Tecnologia e Educação Superior, Profissional e Tecnológica (Sectet) e gestora do Programa Forma Pará, Edilza Fontes, esteve na reitoria do Instituto Federal do Pará (IFPA), junto com outros dois integrantes da equipe do Programa para se reunir com o reitor do Instituto, Cláudio Alex da Rocha, professores e coordenadores de cursos para detalhar as informações do programa e destacar a chamada 2021.

Lançado em 2019, o Forma Pará é uma ação do governo do estado, por meio da Sectet, que contribui para a melhoria dos baixos índices de acesso à educação superior no Norte do Brasil, em particular no território paraense. O programa possibilita a união entre Governo, Instituições de Ensino Superior (IES) públicas, prefeituras e associações municipais no intuito de expandir a oferta de vagas dos cursos de graduação (bacharelado, licenciatura e tecnológica) nos municípios que não possuem polos dessas instituições ou onde não exista a oferta de determinado curso, mas haja demanda de acordo com a vocação econômica de cada região.

Para a coordenadora do curso de agronomia em Castanhal, Louise Rosal, a participação do IFPA no programa é uma maneira de dar mais oportunidades para uma educação pública, superior e de qualidade. “Vejo, neste momento, uma importante perspectiva de ampliar o horizonte de ressignificação da formação dos estudantes do estado”, pontuou.

Da mesma opinião partilha o coordenador institucional do programa pelo IFPA, Lair Menezes. “Falar do Forma Pará é falar de uma iniciativa que já nasceu grande”, disse destacando que o Programa leva formação superior para pessoas que nunca teriam esse tipo de oportunidade.

Ampliação

A secretária Edilza Fontes agradeceu ao IFPA, que aderiu oficialmente ao programa em 2020, e destacou que o Instituto é um importante parceiro deste e de projetos futuros da Secretaria que também preveem a ampliação da oferta de vagas em nível técnico. 

Ela ressaltou que a chamada 2021 do programa, que deve ser lançada no dia 28 de junho, vai oferecer quase o dobro de vagas do que já foi oferecido nos dois anos anteriores: desta vez serão 1.880 vagas ofertadas, distribuídas entre 38 turmas em 33 municípios ou distritos.

Ou seja, em três anos, o Programa já chega próximo à sua meta inicial, que era a oferta de 4 mil vagas. Com a perspectiva da chamada 2022, agora a previsão é que se chegue a 5 mil vagas em quatro anos. 

Em 2019, foram ofertadas 1.000 vagas, distribuídas em 20 turmas, espalhadas em 15 municípios ou distritos paraenses. Já em 2020, cuja a prova do processo seletivo ocorre no dia 4 de julho de 2021 (devido a adiamentos provocados pela pandemia), a oferta se ampliou a 21 municípios ou distritos, com 995 novas vagas distribuídas em 23 turmas.

Para o reitor do Instituto, Cláudio Alex da Rocha, este é um grande esforço do Governo do Estado em prol da educação superior e profissional no Pará. Ele comemorou a proximidade e o apoio que tem da Sectet com a ampliação de vagas de nível superior e técnico, assim como da Fundação Amazônia de Amparo a Estudos e Pesquisa (Fapespa), órgão vinculado à Secretaria, pelo fomento a bolsas de pesquisas no estado.

No período da tarde, a equipe do Forma Pará se reuniu individualmente com os professores para explicar os detalhes dos trâmites administrativos para a realização dos cursos da chamada 2021 que serão executados pelo IFPA por meio do Programa. Para esta chamada estão previstos os cursos de agroecologia, em Bom Jesus do Tocantins e Cachoeira do Arari; engenharia de alimentos, em Santa Maria do Pará; engenharia de pesca, em Bonito; gestão ambiental, em Belém (Icoaraci); gestão hospitalar, em Salvaterra; e análise e desenvolvimento de sistema, em Almeirim. 

Por Fernanda Graim (SECTET)