Pará tem saldo positivo em número de postos de trabalho no segmento da Indústria

Estudo do Dieese aponta 560 novos empregos, de janeiro a março de 2021, com 9.877 admissões contra 9.317 desligamentos

06/05/2021 15h08 - Atualizada em 06/05/2021 19h55

De janeiro a março de 2021, Pará registrou o saldo positivo de 560 novos postos formais no setor da IndústriaO novo balanço divulgado pelo Departamento Intersindical de Estudos Socioeconômicos (Dieese), nesta quinta-feira (06), apontou que mesmo enfrentando diversas dificuldades conjunturais, o Pará fechou o primeiro trimestre deste ano com um saldo positivo na geração de empregos formais no setor da Indústria.

Segundo o Dieese, de janeiro a março deste ano, o setor contabilizou 9.877 admissões, contra 9.317 desligamentos, gerando um saldo de 560 novos postos formais de trabalhos. No mesmo período do ano passado (janeiro-março/2020), o cenário foi inverso, com o Pará registrando o saldo de 322 postos de trabalho. 

O mesmo estudo aponta que nos últimos 12 meses, o Estado vem progredindo na geração de postos no setor industrial. Na análise entre admitidos e desligados, o Pará registrou a abertura de 6.370 postos de trabalho.

O resultado positivo é frutos das ações assertivas e dos investimentos realizados pelo Governo do Pará, que tem apostado em um processo de retomada seguro e eficaz. Através do projeto "Parcerias pelo Pará", desenvolvido pela Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico, Mineração e Energia (Sedeme), o governo gera oportunidades de emprego e renda para os municípios paraenses.

O Parcerias pelo Pará estimula a troca de informações entre órgãos públicos e iniciativas privadas para contribuir para o desenvolvimento econômico do Estado. Lançado em outubro de 2019, o projeto engloba oito órgãos estaduais, entre eles, a Secretaria de Estado de Assistência Social, Trabalho, Emprego e Renda (Seaster).

Segundo o secretário Adjunto de Trabalho e Emprego, Esmerino Batista, “a discussão proposta pelo Estado a respeito de incentivos fiscais, os programas de qualificação e o diálogo com a iniciativa privada, têm contribuído para o estreitamento das relações com o setor produtivo, principalmente, por meio das visitas técnicas realizadas pelo citado projeto.

 Através da integração das ações dos órgãos estaduais da pasta econômica, o governo fomenta iniciativas para a abertura de mercado, qualificação de mão de obra e, consequentemente, contribui com os segmentos econômicos, o que facilita a geração de emprego e renda pela iniciativa pública e privada.

“Temos conversado com o poder público municipal, com as empresas e entidades de classe representativas do setor produtivo, buscando gerar oportunidades, e temos garantido bons resultados. O saldo positivo alcançado pelo Estado no setor industrial é fruto dessas parcerias”, ainda destacou Esmerindo.

Por Camila Santos (SEASTER)