CIIR alerta sobre perigos do uso irracional de medicamentos

Assistência farmacêutica contribui para a reabilitação do usuário

05/05/2021 23h11

Neste momento de pandemia, a automedicação levanta preocupações em órgãos como a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), sobre os riscos reais dessa prática, que pode causar reações graves, inclusive óbitos. Dados do Conselho Federal de Medicina indicam que 77% dos brasileiros fazem o uso de medicamentos sem qualquer orientação médica. 

"Nesta quarta-feira (5), Dia Nacional do Uso Racional de Medicamentos reforçamos sobre a importância do uso racional das substâncias, como forma de promover prevenção e recuperação em saúde das pessoas, trazendo mais benefícios do que riscos ao paciente", orienta o farmacêutico Clínico e presidente da Comissão de Farmácia e Terapêutica do Centro Integrado de Inclusão e Reabilitação (CIIR), Paulo Gabriel Silva Araújo Gomes.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) estima que mais de 50% de todos os medicamentos são prescritos, dispensados ou vendidos de forma inadequada. Além disso, metade de todos os pacientes não faz uso dos medicamentos corretamente. “Isso pode mascarar doenças ou condições de saúde mais graves, como por exemplo, uma dor de cabeça recorrente, que pode estar associada à hipertensão”, acrescentou o profissional.

Nos medicamentos antimicrobianos, o risco está também no surgimento de bactérias cada vez mais resistentes, aumentando a necessidade de internações e, por vezes, limitando as alternativas de tratamento. “A automedicação pode levar a intoxicação por medicamentos, agravamentos de doenças, alergias e a morte", alerta o farmacêutico.

No CIIR, o uso racional de medicamentos é orientado por meio do Ambulatório de consulta Farmacêutica voltado para o atendimento dos usuários em reabilitação na Unidade. Durante as consultas são identificados problemas relacionados aos medicamentos que impactam na evolução da reabilitação do usuário.

Durante as consultas, caso sejam percebidas interações medicamentosas em que há necessidade de intervenções, é feita a comunicação diretamente com os médicos de referência no CIIR, possibilitando que o usuário tenha o medicamento prescrito da forma mais adequada, pelo período e doses corretos. 

"Este serviço é novo no Brasil. Somos um dos poucos serviços do SUS (Serviço Único de Saúde) que contam com atendimentos ambulatoriais deste tipo. Porém, o cenário é de que cada vez mais o farmacêutico Clínico esteja presente em todas as instituições, proporcionando assim o uso racional dos medicamentos", pontua o profissional.

A atenção farmacêutica desenvolve um acompanhamento sistemático da terapia medicamentosa utilizada pelo indivíduo, buscando avaliar e garantir a necessidade, a segurança e a efetividade no processo de utilização de medicamentos. “Dessa forma, o farmacêutico atua na promoção do uso racional de medicamentos através das orientações ao paciente, atuando de forma multidisciplinar para otimizar a terapia e, através da elaboração de protocolos de segurança no uso, prescrição e dispensação de medicamentos", ressalta Paulo Gabriel.

Serviço: Os usuários podem ter atendimento exclusivamente por meio de encaminhamento das Unidades de Saúde, via Sistema de Regulação (Sisreg). O CIIR está localizado na Rodovia Arthur Bernardes, 1000. Mais informações: 4042-2157/58/59.

Por: Joelza Silva (Ascom / CIIR)

Por Governo do Pará (SECOM)