Na semana do Dia das Mães, paciente reencontra quatro filhas após três meses de internação

05/05/2021 16h43 - Atualizada em 05/05/2021 22h03

Na tarde desta segunda-feira (3), o Hospital Regional Público da Transamazônica (HRPT), em Altamira, presenciou um dos momentos mais marcantes no combate à Covid-19 durante a pandemia. A paciente Claudia Gomes de Moura, de 49 anos, recebeu alta médica da unidade após ficar 92 dias internada.

Claudia deu entrada no HRPT no dia 31 de janeiro, por meio de encaminhamento realizado pela regulação de leitos da Secretaria de Estado de Saúde Pública do Pará (Sespa). Durante a sua internação no HRPT, e com 90% de comprometimento pulmonar, ela precisou de internação na Unidade de Terapia Intensiva (UTI), além de procedimentos de intubação orotraqueal e traqueostomia.

De acordo com o diretor hospitalar do HRPT, Edson Primo, a recuperação da paciente faz parte dos esforços assistenciais de uma equipe multiprofissional, formada por mais de 150 colaboradores entre médicos intensivistas, enfermeiros, técnicos de Enfermagem, fisioterapeutas, assistentes sociais e auxiliares de higiene e limpeza.

“A alta da paciente representa uma conquista especial para o hospital. Foram três meses de luta, perseverança e muita dedicação. Mesmo com tantos desafios impostos pela pandemia, momentos como esse revigoram todo o nosso time a continuar combatendo essa doença”, disse Edson Primo.

Para o secretário de Saúde do Pará, Romulo Rodovalho, o HRPT tem sido uma unidade estratégica para o atendimento à população da região do Xingu do Pará durante a segunda onda da Covid-19. “O hospital tem correspondido às nossas expectativas e, com sua equipe dinâmica, promoveu uma adaptação estrutural para receber os doentes de coronavírus mais graves e ajudou a evitar distante o risco de colapso no sistema de saúde nessa região, já que o hospital é referência de média e alta complexidade para 500 mil pessoas de nove municípios na região de integração do Xingu”, avalia o titular da Sespa.

Reencontro com família

Claudia, que é mãe de quatro filhas entre 19 e 29 anos, faz parte dos mais de 450 pacientes recuperados da doença no Regional Público da Transamazônica, desde o mês de abril do ano passado. Além dos cuidados junto ao paciente, a unidade também é responsável pelo acolhimento às famílias que diariamente são informadas sobre o estado de saúde e tratamento por meio de boletins médicos transmitidos por telefone.

A irmã da paciente, Helenice Gomes de Moura, foi quem acompanhou todo o processo de internação e manteve o relacionamento diariamente com a equipe assistencial. A irmã estava na recepção do hospital aguardando a saída de Claudia e, durante o reencontro, não escondeu a emoção. Além de agradecer a equipe, demonstrou como a doença atinge também os familiares.

“Sentimento de gratidão pela vida dela. Gratidão por todos os profissionais terem cuidado tão bem da minha irmã. Eu vi o sofrimento dela por três meses, essa é uma doença muito séria. Cada ligação por telefone era uma mistura de tristeza e esperança”, disse Helenice. A irmã completa fazendo um pedido para quem ainda duvida dos riscos da doença. “Mantenham o cuidado, o distanciamento. Tenham amor ao próximo”, alerta.

O HRPT é uma unidade da rede pública estadual de saúde do Governo do Pará. Com atendimento 100% gratuito pelo SUS (Sistema Único de Saúde), o Hospital é referência no tratamento da Covid-19 para nove municípios da Região de integração Xingu.

O HRPT é reconhecido nacionalmente entre os melhores hospitais públicos do Brasil. A unidade possui certificação máxima de qualidade, ONA 3 Acreditado com Excelência, concedida pela Organização Nacional de Acreditação (ONA), um reconhecimento que atesta a qualidade dos serviços prestados à população.

Texto: Maurício Martins

Por Governo do Pará (SECOM)