Polícia Civil do Pará prende seis investigados por crimes em órgãos de trânsito

Foram cumpridos 12 mandados de busca e apreensão domiciliares contra funcionários públicos e empresários

04/05/2021 18h46 - Atualizada em 04/05/2021 23h24

Nesta terça-feira (4), a Polícia Civil do Pará, por meio da Delegacia de Repressão a Furtos e Roubos de Veículos (DFRV), deflagrou a "Operação Gold Land" para dar cumprimento a mandados de busca e apreensão domiciliar e prisão preventiva nos municípios de Ourilândia do Norte e Tucumã, na região Sudeste, e Ananindeua e Belém, na Região Metropolitana. A ação ocorreu de forma simultânea e foi desencadeada após 11 meses de investigação.

Na operação, os agentes de segurança cumpriram 12 mandados de busca e apreensão domiciliares e seis pessoas foram presas, sendo quatro em flagrante. Os presos são funcionários públicos e empresários, investigados pelos crimes de associação criminosa, corrupção passiva, inserção de dados falsos no sistema, corrupção ativa e posse ilegal de arma de fogo. Arma e munições apreendidos pelos policiais civis na Operação Gold Land

“Essas prisões significam a quebra de uma cadeia criminosa, culturalmente alicerçada nos órgãos de trânsito do Estado do Pará. E significa um verdadeiro paradigma, tendo em vista a custódia de agentes políticos e empresários que atuam em fraudes veiculares”, informou o delegado João Costa, titular da DRFV.

“Mercado clandestino” - As investigações começaram em junho de 2020, após a prisão de dois servidores do Ciretran (Circunscrição Regional de Trânsito) de Ourilândia do Norte, que praticavam o crime de inserção falsa nos sistemas da administração. Com o trabalho investigativo foi possível identificar um grupo que estaria cometendo inúmeras fraudes veiculares em órgãos de trânsito do Pará, os quais funcionariam como mercado clandestino de operações, inclusive com uma tabela de preços para despachantes, empresários e populares.

Durante as buscas domiciliares foram apreendidos aparelhos celulares, cheques, computadores, pen-drives, munições de vários calibres e armas de fogo que estavam em posse dos investigados. Após as prisões, eles prestaram depoimentos na Unidade Policial, e estão à disposição da Justiça.

A ação contou com apoio do Núcleo de Inteligência Policial, Diretoria de Polícia do Interior, Diretoria de Polícia Especializada e Inteligência do Detran/PA.

Por Roberta Meireles (PC)