Produtores de Floresta do Araguaia concluem capacitação para desenvolvimento rural sustentável

Fruto da parceria entre Sedap, Senar e Secretaria de Agricultura, a ação beneficiou 45 produtores. Para o próximo mês já estão previstos outros cursos

29/04/2021 14h24 - Atualizada em 29/04/2021 14h52

Com um saldo positivo no aproveitamento e na frequência, 45 produtores concluíram no município de Floresta do Araguaia, os cursos de bovinocultura de leite, beneficiamento de mandioca, piscicultura, suinocultura e extrativismo de cacau realizados ao longo do mês em parceria entre a Secretaria de Desenvolvimento Agropecuário e da Pesca (Sedap), através da sua regional de Redenção, a Secretaria Municipal de Agricultura e Desenvolvimento Sustentável e o Serviço Nacional de Aprendizagem Rural – Administração Regional do Pará (Senar) - que integra o sistema da Federação da Agricultura e Pecuária do Pará (Faepa).

O coordenador da regional de Redenção - que também abrange o município de Floresta do Araguaia-, Paulo Henrique Cavalcanti, informou que os cursos foram escolhidos com base nas demandas e aptidão dos produtores de cada região de Floresta do Araguaia. “Sabemos que hoje para produzir em qualquer que seja a atividade, o conhecimento técnico é fundamental e os cursos oferecidos vêm com a finalidade de levar esse conhecimento aos produtores para que possam almejar uma maior produtividade e evitar o cometimento de  falhas que possam inviabilizar a sua atividade”, destacou. No próximo mês já estão previstas novas capacitações.

 De acordo com as informações do coordenador, cada turma foi composta por nove alunos, para assegurar todos os cuidados por conta da pandemia do novo coronavírus. 

Parcerias- O secretário de agricultura e desenvolvimento sustentável de Floresta do Araguaia, Gilberto Martins, ressaltou o trabalho parceiro entre a secretaria de agricultura local, a Sedap e o Senar. “Nos deu  uma base essencial, levando aos nossos produtores rurais, o conhecimento que é chave que abre as portas para o futuro”. 

Quênia Helmer, do Núcleo Sul do Senar, também frisou a importância do trabalho integrado. “Além da melhora da qualidade de vida, contribui para o aumento de renda, integração e acesso social dos produtores a partir dos princípios de sustentabilidade, produtividade e cidadania além do  desenvolvimento socioeconômico da cidade”. 

Texto: Rose Barbosa (Ascom Sedap)

Por Governo do Pará (SECOM)