Pessoas em situação de vulnerabilidade, acolhidas pelo Estado, recebem suas identidades

Documentação é o primeiro passo para que elas possam resgatar a auto-estima e a condição de cidadania necessária para buscar novas oportunidades

27/04/2021 16h59 - Atualizada em 27/04/2021 18h06

Trinta e oito pessoas em situação de rua, acolhidas em abrigos emergenciais instalados pelo Estado, receberam durante esta terça-feira, 27, novas cédulas de carteira de identidade. Através de ações de emissão de documentos, a Secretaria de Estado de Assistência Social, Trabalho, Emprego e Renda (Seaster) busca resgatar a cidadania e a dignidade de pessoas em situação de vulnerabilidade social, assegurando a elas a oportunidade de um novo recomeço. 

Ranyeli da Silva tem 32 anos, é mulher trans e recebeu o novo documento já com o seu nome social. Depois de tantos anos sem reconhecimento, ela conta que garantir os documentos foi uma vitória, 

"Eu tô na rua tem dois anos. Fui criada pela minha avó, inclusive foi quem me registrou, e aí depois que ela faleceu eu tive problemas familiares com a minha mãe e saí de casa. Desde que eu me entendi mulher eu passei a me identificar com meu nome social, e hoje eu recebi meu documento já com essa alteração; foi muito rápido, lá fora é uma dificuldade".

Jhore Silva estava há três anos sem certidão e RG, participou de uma ação social algum tempo atrás, mas recebeu o documento com erros de digitação. No abrigo ele teve oportunidade de corrigir os dados e emitir uma nova documentação. "Passei um tempo sem documento, e agora quando eu sair quero um emprego, eu tenho uma profissão e pretendo sair daqui e conseguir algo. Tenho um filho que hoje fica com a mãe, a gente sempre se fala, mas pra eu conseguir ajudar, preciso de um trabalho e agora eu vou atrás. O meu auxílio também estava retido, agora com o RG vou conseguir receber", destacou. 

CERTIDÃO

A primeira etapa da ação foi garantir a certidão de nascimento para os assistidos que estavam sem a documentação; a segunda etapa foi emitir as carteira de identidade e auxiliar no cadastro e inclusão na rede socioassistencial, através dos CRAS e consequentemente no recebimento de benefícios sociais.

"É fundamental o papel exercido pelo Estado ao promover direitos e dar acesso à documentação para essas pessoas que são totalmente vulneráveis. A identificação do cartório, a organização dos dados até a a emissão do RG é um processo demorado, então hoje receber uma cédula nova, que une todas as informações em um só documento é um ganho tremendo, fruto da parceria que a Seaster vem estabelecendo com a Delegacia Geral e com os Cartórios. Com esses documentos em mãos, nós conseguimos apoiá-los no acesso a diversos benefícios promovidos pelos governos estadual e federal. Nós torcemos e esperamos que todos eles sigam a vida a partir daqui como cidadãos, de fato e de direito", enfatizou Regina Almeida, gerente do Fundo de Registro Civil da Seaster. 

Por Camila Santos (SEASTER)