Obra no terceiro trecho da macrodrenagem da Bacia do Tucunduba avança em Belém

A Estação de Tratamento de Esgoto (ETE) do Riacho Doce está em fase de conclusão

27/04/2021 12h39 - Atualizada em 27/04/2021 14h12

Dona Maria José agradece as melhorias em sua rua: 'quando terminar, vai ser melhor ainda'Um dos motivos de celebração da aposentada Maria José Silva, moradora das proximidades do Tucunduba há 40 anos, com a chegada dos seus 64 anos, nesta terça-feira (27), é o avanço das obras de macrodrenagem da Bacia do Tucunduba, em Belém. 

“Chegaram os dias de glória, depois de tanto sofrimento por vivermos praticamente dentro da água do canal. Se com as obras em andamento já conseguimos sentir as melhorias, quando terminar, vai ser melhor ainda. Nossas casas mais valorizadas, em uma avenida linda, com mais qualidade de vida. Só motivos para comemorar hoje”, celebra a aniversariante.

As obras de macrodrenagem do terceiro trecho da Bacia do Tucunduba, que vai da Rua 2 de Junho à Travessa Vileta, avançam em Belém. A obra de saneamento e desenvolvimento urbano, que é considerada prioritária pelo Governo do Pará e desenvolvida pela Secretaria de Estado de Desenvolvimento Urbano e Obras Públicas (Sedop), contempla cerca de 400 mil pessoas que vivem às margens do canal na capital.

O terceiro trecho de obras faz parte da segunda etapa do projeto e teve início no mês de maio de 2020. Gilmar Mota, engenheiro da Sedop, explica que os serviços de macrodrenagem estão avançando e englobam todo o sistema viário, de drenagem, de esgoto e água, de conformação do talude do canal (plano de terreno inclinado que limita um aterro para garantir estabilidade), além da construção de pontes e passarelas.

“A nossa dedicação é para garantir cada vez mais qualidade de vida aos moradores do bairro, que antes viviam nos leitos do canal, em condições sub humanas, sem infraestrutura nenhuma. As casas agora ficam ao lado de uma avenida, com toda assistência de água, esgoto, saneamento básico. Com isso, as pessoas que moravam indignamente, passaram a ter uma qualidade de vida melhor”, completa o engenheiro.

O secretário adjunto de Desenvolvimento Urbano da Sedop, Valdir Acatauassu, ressalta que as desapropriações que tinham para ser feitas já foram concluídas. “As equipes da Sedop atuam no perímetro final da obra, com cerca de 400 m, para chegar até a Travessa Vileta, onde encerra essa fase de saneamento da bacia do Tucunduba. Estão sendo executadas as pontes de união de um lado ao outro do Tucunduba, além do trabalho nas tubulações de esgoto e de água da localidade”, informa. A previsão de entrega é até fevereiro de 2022.

Desde que chegou em Belém, há 40 anos, a aposentada Maria Lindalva afirma que os moradores das proximidades do Tucunduba já sonhavam com essa obra. “Eu sempre disse que antes de morrer, queria ver essa obra saindo do papel e já estou vendo. Tá ficando bonito. É muita felicidade pra mim e pros vizinhos. Nós morávamos praticamente dentro da água, qualquer chuva enchia as nossas casas e a água dava na cintura. Era só prejuízo”, relembra.

Há 40 anos em Belém, dona Maria Lindalva sonhava com a obra da macrodrenagemESTAÇÃO DE TRATAMENTO DE ESGOTO (ETE) DO RIACHO DOCE

As obras na Estação de Tratamento de Esgoto (ETE) do Riacho Doce, localizada na Avenida Tucunduba, que faz parte do primeiro trecho da segunda etapa de serviços, está em fase de conclusão. O engenheiro da Sedop explica que a ETE foi uma obra integrada à obra de macrodrenagem do Tucunduba para garantir viabilidade técnica na parte do esgoto.

A previsão de entrega é no mês de junho de 2021, para garantir a viabilidade para o restante da obra. Desde a travessa Vileta até a avenida Perimetral, a ETE conduzirá todo o esgoto.

No segundo trecho desta etapa, equipes atuam no complemento do Canal da avenida Gentil Bittencourt com a Bacia do Tucunduba.

Por Giovanna Abreu (SECOM)