Governo do Estado já investiu R$ 402 milhões no vale-alimentação escolar

Auxílio contemplou diretamente os 586 mil alunos da rede pública estadual, em todos os 144 municípios paraenses

15/04/2021 10h53 - Atualizada em 15/04/2021 11h02

Criado em abril de 2020, o vale-alimentação escolar é uma ação promovida pelo Governo do Pará, por meio da Secretaria de Estado de Educação (Seduc), que visa assegurar a merenda escolar dos estudantes paraenses, mesmo após a suspensão das atividades escolares de maneira presencial, em decorrência da crise sanitária mundial do novo coronavírus.

A iniciativa faz parte do plano estratégico de enfrentamento à Covid-19, do Executivo Estadual, que consiste na disponibilização de R$ 80 para cada aluno matriculado na rede estadual de ensino. Com este recurso, estudantes, pais ou responsáveis podem adquirir gêneros alimentícios, produtos de higiene e limpeza, entre outros, em um dos estabelecimentos credenciados pelas empresas administradoras do vale-alimentação escolar.

Até o momento, já foram investidos no benefício R$ 402 milhões, com recursos oriundos do Tesouro Estadual, que contemplam diretamente os 586 mil alunos da rede pública estadual, em todos os 144 municípios paraenses. Os estudantes que estavam matriculados no ano passado e que evoluíram para o ano - série subsequente, em 2021, quando somadas às nove vezes que o auxílio já foi disponibilizado, receberam a totalidade de R$ 720, cada.

A secretária de Estado de Educação, Elieth de Fátima Braga, destacou a importância que o vale-alimentação escolar tem para a população paraense, não apenas para os alunos da rede estadual e seus familiares, como também para os pequenos, médios e grandes empresários supermercadistas do Estado. Devido à disponibilização deste recurso, têm se observado um impulsionamento na economia dos municípios e do Pará.

Ana Paula Tavares, mãe de um aluno do 6º ano do Ensino Fundamental, na Escola Estadual Frei Daniel, em Belém, conta de que maneira o benefício tem auxiliado na compra de alimentos para sua família.

“O vale-alimentação escolar está nos ajudando bastante neste período de pandemia. Apesar do meu filho ter algumas restrições alimentares, com o recurso disponibilizado, eu consigo comprar os produtos essenciais para garantir a alimentação dele. Portanto, eu avalio que esse auxílio deve continuar, pois assim como está beneficiando a minha família, também está ajudando muitas outras”, declarou.

Mãe de dois alunos das escolas estaduais Matheus do Carmo e Brigadeiro Fontenelle, ambas situadas no bairro da Terra Firme, em Belém, Samara Barbosa afirma que, “o vale-alimentação escolar foi algo que veio em boa hora, pois é com esse recurso que consigo comprar alimentos como, arroz, feijão, açúcar, entre outros, para fazer as refeições dos meus filhos”.

Marcelo Peixoto, gerente de uma rede supermercadista credenciada a receber o vale-alimentação escolar, garante que a empresa tem respeitado todos os protocolos de biossegurança e prevenção à Covid-19, controlando a quantidade de pessoas que entram na loja, disponibilizando álcool em gel na entrada e no interior da loja, além de demarcar os espaços a fim de evitar aglomerações. Por fim, o encarregado avalia o impacto econômico que o benefício gera nos estabelecimentos comerciais do Estado.

“Para nós, é uma satisfação enorme poder ajudar, de certa forma, a garantir a alimentação dos estudantes e suas famílias. Aqui na nossa rede, a gente observa que, assim que a nova recarga do vale-alimentação escolar cai, os alunos, pais ou responsáveis não perdem tempo para garantir os seus produtos, tendo em vista que nesse período de pandemia, muitos perderam seus empregos e dependem desse auxílio para comprar a alimentação dos seus filhos. Portanto, nós parabenizamos o governo do Estado por essa iniciativa que, de maneira sensível, olha com apreço para os nossos estudantes paraenses”, frisou o gestor.

CRONOGRAMA

A partir desta quinta-feira (15), a 9ª recarga do vale-alimentação escolar começa a ser disponibilizada para cerca de 57 mil alunos que residem na Região de Integração do Baixo Amazonas. Os 13 municípios contemplados são: Alenquer, Almeirim, Belterra, Curuá, Faro, Juruti, Mojuí dos Campos, Monte Alegre, Óbidos, Oriximiná, Prainha, Santarém e Terra Santa.

Dia 16/04 - Região de Integração Carajás 

Dia 19/04 - Região de Integração Guamá 

Dia 20/04 - Região de Integração Lago de Tucuruí 

Dia 21/04 - Região de Integração Marajó

Dia 22/04 - Região de Integração Rio Caeté 

A relação discriminada dos municípios que compõem cada região de integração pode ser acessada no site ou redes sociais da Seduc.

NOVOS ALUNOS

Os estudantes que ingressaram na rede estadual de ensino em 2021 irão receber o cartão do vale-alimentação a partir de 17 abril, de acordo com o cronograma que será divulgado no site e nas redes sociais da Seduc. Vale destacar que o processo de matrículas foi encerrado no final de março, quando houve o fechamento da base de dados e o envio às empresas para o processo de emissão do cartão aos novos alunos.

*Texto: Vinícius Leal (Ascom/Seduc).

Por Lilian Guedes (SEDUC)